Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
24 de Agosto de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

BOPE realiza em Corumbá curso de intervenção imediata e capacita policiais

Caline Galvão em 24 de Agosto de 2016

O Batalhão de Operações Especiais (BOPE) da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul realiza em Corumbá o curso Resposta Imediata em Situações Críticas (RISC). O objetivo é capacitar todos os militares que integram o 6º Batalhão da PM e dar oportunidade a profissionais de outras corporações para também se qualificar. Ao final do curso, os militares recebem brevê e poderão atuar em situações críticas, como em casos onde há reféns, explosivos e demais ocorrências especiais. Participam do curso 40 profissionais, incluindo quatro policiais mulheres.

Tenente Cleyton Santos/BOPE

Treino no primeiro dia de curso aconteceu na sede do 6º BPM

O comandante do 6º BPM, tenente-coronel César Freitas, afirmou que o curso estendeu vagas para outras polícias, como a Civil e Federal, bombeiros e outras instituições. “O BOPE tem um programa anual de adestramento da tropa e a gente fez o pedido do curso e mandaram a equipe para cá, com apoio da Prefeitura”, disse Freitas.

O tenente Cleyton Santos, um dos instrutores do BOPE, explicou que o órgão foi instituído no Mato Grosso do Sul em 2013. “O BOPE surgiu oriundo da antiga Cigcoe, que era a Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais, com sede em Campo Grande. Essa companhia foi elevada e criaram-se dois batalhões, o Batalhão de Choque e o Batalhão de Operações Especiais, o BOPE, os dois com sede em Campo Grande”, informou o tenente.

O instrutor do BOPE afirmou que o curso será realizado em dois estágios, um que começou na segunda-feira (22) e termina sexta-feira (26) e o outro que será feito daqui a duas semanas com nova turma. O objetivo é qualificar todos os policiais militares do 6º Batalhão e dar oportunidade a novos profissionais de outras corporações. “Hoje estamos aqui com quarenta profissionais, sendo 35 policiais militares, dois guardas municipais, um bombeiro, um policial federal e um policial civil”, afirmou ao Diário Corumbaense o tenente Cleyton ao ressaltar que no próximo estágio dois policiais bolivianos também participarão do treinamento.

Ricardo Albertoni/Diário Corumbaense

Tenente Cleyton Santos, instrutor do BOPE, afirmou que o RISC já capacitou cerca de 780 policiais em todo Estado

De acordo com o tenente, o RISC prepara os profissionais para atuarem em complexas situações. “O curso visa capacitar o policial para atuar em situações de primeira intervenção como quando há reféns, explosivos, em ocorrências que são consideradas o novo cangaço, que são os roubos a bancos, ocorrências mais sofisticadas para esse tipo de ação”, afirmou o instrutor. Ele também ressaltou que essa capacitação é realizada desde 2005 e essa é a 25ª edição. O curso já treinou mais de 780 policiais em todo o Estado. Em Corumbá, é a segunda vez que o RISC é realizado.

No primeiro dia da capacitação, os alunos realizaram treinamento no espaço livre existente na sede do 6º BPM e, na tarde de terça-feira (23), o treino foi no Centro de Convenções,  no Porto Geral. Na noite do mesmo dia, realizaram treino de tiro noturno, também no quartel da PM. Durante o curso haverá treinamento com explosivos em área de campo aberto e o treino com tiro será realizado no estande do Exército, na sexta-feira. “De acordo com a necessidade de cada instrução, vai mudando o ambiente que a gente vai utilizar. É um curso bem completo”, afirmou o tenente Cleyton.

Riscos do dia a dia

Há oito anos como policial militar, a aspirante Letícia Escobar acredita que o curso é muito interessante para sua carreira pelas dificuldades enfrentadas todos os dias na profissão. “Nós policiais militares corremos grande risco todos os dias, em qualquer situação de serviço. É importantíssimo para o pessoal do Batalhão estar em constante treinamento, então a gente procurou essa parceria com o BOPE para dar uma atualização para os policiais de Corumbá e Ladário”, disse Letícia. Ela acredita que tudo que é ensinado durante o curso é bastante aplicável à realidade do município. “Como estamos afastados de Campo Grande, onde tem a unidade especializada, é importantíssimo que cada policial que esteja na rua hoje, seja soldado, cabo, sargento ou subtenente, saiba como aplicar a doutrina em uma situação crítica da melhor forma possível”, frisou.

O curso do BOPE é realizado desde 2005 e já capacitou mais de 700 policiais em todo o Estado

O policial federal Rodrigo Araújo também participa do RISC e acha importante que todas as corporações tenham essa oportunidade para que, em caso de necessidade, saibam trabalhar em conjunto. “É bom sempre estar em contato com cada um que atua na região, porque a gente acaba trabalhando junto, e estou percebendo que as técnicas são bem similares. Somamos o que é diferente, ajudamos os outros, mas também treinamos a técnica que a Polícia Federal usa”, afirmou Araújo. “É importante cada corporação saber das técnicas até para um não atrapalhar o outro, saber a hora quando um é melhor que você. O curso complementa na parte que temos atribuições em comum, mas também é bom para trabalhar em conjunto, não apenas dentro da corporação, como também pensando na segurança pública em geral”, concluiu o policial federal.

Galeria: Treinamento BOPE Corumbá - 2016

Abrir Super Galeria
Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE