Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
24 de Novembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Pequenos agricultores entregam produção ao Programa de Aquisição de Alimentos

em 28 de Julho de 2015

Fotos: Anderson Gallo/Diário Corumbaense

O Programa visa fomentar a agricultura familiar e promover acesso à alimentação

Nesta terça-feira (28), quando se comemora o Dia do Agricultor, em torno de 20 pequenos produtores rurais entregaram parte do que produzem na Secretaria de Produção Rural de Corumbá para que o município adquira os produtos. Fardos de tomate, cenoura, coentro, alface, mandioca e tantos outros alimentos produzidos nos assentamentos foram entregues no local. A ação faz parte do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que é um projeto federal intermediado pela Prefeitura de Corumbá. O PAA tem como objetivos principais fomentar a agricultura familiar e promover o acesso à alimentação, através de repasses que serão feitos a entidades e escolas cadastradas no programa.

Como exemplos de organizações que recebem esses alimentos adquiridos pela Prefeitura, através do trabalho do pequeno produtor rural, estão o Asilo São José, a CRIPAM, as casas de acolhimento, os CRAS, escolas da rede municipal e algumas da rede estadual, os projetos Geniquinho e Mãos Amigas. “Algumas dessas entidades já têm grandes projetos e muita importância na cidade”, justificou Gilberto dos Santos Souza, coordenador do projeto.

Todos os alimentos produzidos pelos agricultores não contém agrotóxicos

Em Corumbá, estão inscritos 195 produtores rurais no Programa de Aquisição de Alimentos e 45 entidades estão sendo atendidas pela iniciativa. Em torno de 36 mil pessoas serão assistidas com as doações desses alimentos. “Temos a previsão para estar comprando até dezembro dos pequenos agricultores mais de 380 mil quilos de alimentos”, afirmou Gilberto. As entregas dos produtos são realizadas três vezes por semana, às terças, quartas e quintas. Desde o dia 30 de junho, a Secretaria de Produção Rural está com esse projeto ininterrupto, adquirindo os alimentos dos produtores. Somente nesta terça-feira, entre 4 e 5 mil quilos de alimentos foram deixados na sede da Secretaria para serem repassados às instituições e escolas.

Programa beneficia agricultores de assentamentos

O produtor Manoel Muniz Filho entregou, junto com os filhos, parte do que eles produziram para vender para a Prefeitura. Ele afirmou que se não fosse esse programa, não teriam onde vender os produtos. “A partir do surgimento desse programa, facilitou muito para a gente, agradeço a Deus pela oportunidade de dar prosseguimento a esse trabalho. Lá em casa somos cinco pessoas, dois rapazes, um está no quartel, outro está aqui com a minha filha, só que o mais forte no serviço sou eu”, comentou ao Diário Corumbaense.

Manoel não nega esforços para o trabalho. Veio do assentamento rural Tamarineiro II Sul com seus produtos no ônibus, por não ter carro. Ele levou mandioca, cenoura e cebola. Todos os produtos sem agrotóxicos e maiores que os geralmente encontrados nos supermercados. “O pessoal diz que eu estou aposentado e deveria estar numa rede, mas eu estou vivo, estou podendo andar e vou trabalhar, né? O Brasil precisa disso, então vamos agir com dignidade e agradecer a Deus primeiro e tomara que não pare. Tem que abrir mais espaço para a gente, porque se abrir mais espaço, temos como produzir bastante porque o Brasil precisa disso”, concluiu.

O produtor Manoel Muniz levou mandioca, cenoura e cebola para o programa

A dona Maria Ivanilda produz alimentos no assentamento Tamarineiro II Sul e está entregando sua produção pela segunda vez ao Programa. “Trabalhamos com nosso suor, mantemos nossos filhos, compramos um trator com a roça, então eu só tenho que agradecer muito mesmo.” O programa vai ajudar principalmente nos estudos dos filhos dela. “Eu falo para os meus filhos que não tenho estudo, não tenho uma profissão, meu marido também não tem, ele estudou para poder tirar a carteira dele, não sabia ler, nem escrever o nome. Ele conseguiu tirar a carteira de motorista para poder vender na feira”, comentou.

“Com o nosso produto, compramos um carro, meu marido foi para a escola e à noite eu ficava na roça até ele chegar, às 22h, aí ele ficava até 02h da manhã molhando as plantas”, contou sobre o trabalho duro na plantação. Por causa da persistência no cuidado com o plantio, Maria Ivanilda conseguiu entregar na Secretaria, abóboras de até 1,20m de comprimento. “Esse projeto para mim vai ajudar porque eu quero montar um poço no meu sítio para poder produzir mais ainda”, disse animada.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE