Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
27 de Maio de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Programa social atendeu mais de 150 famílias no Pantanal

Da Redação em 23 de Maio de 2011

Fotos: Divulgação

Atendimento odontológico integrou ações de programa social que chegou às populações ribeirinhas

Avaliação médica foi bastante procurada por moradores

Realizada entre os dias 18 e 21 de maio, a oitava edição do Programa Social Povo das Águas atendeu a população ribeirinha da parte alta do Pantanal, na divisa entre os estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Este ano, a cheia intensa tem gerado algumas dificuldades para algumas comunidades que ficam distantes até 250 quilômetros da área urbana de Corumbá.

"A água acabou com todas as minhas plantas. Eu tinha bastante mandioca, banana, só que agora está tudo inundado. Mas fazer o que? Isso é obra de Deus. Tem que aguentar o que Ele quer", comentou Bernardo Tássio, de 81 anos, pantaneiro legítimo, nascido e criado na região da Barra do São Lourenço. Casado com dona Irene "há uma vida", como ele próprio definiu, seu Bernardo teve 15 filhos. Hoje, o aposentado mora com quatro deles e uma neta, de 13 anos, no mesmo local onde ele nasceu e cresceu.

Ele recebeu atendimento médico e, aos médicos do 6º Distrito Naval, que participam do programa social, seu Bernardo queixou-se apenas de umas dores no joelho que teimam em aparecer depois de passar um dia inteiro cuidando da roça ou pescando.

Resolvida a parte médica, ele foi cuidar da alimentação dele e da família. Da Fundação de Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário, ganhou uma cesta de legumes, composta por abóbora, mandioca, batata doce, laranja e tangerina, alimentos produzidos nos assentamentos do município e adquiridos por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), na modalidade Compra Direta Local com Doação Simultânea. Para garantir melhor alimentação ao pantaneiro, técnicos da Secretaria de Assistência Social entregaram-lhe uma cesta básica com alimentos e produtos de primeira necessidade. Também foram entregues casacos, mantas e cobertores, todos os materiais doados à Prefeitura pela Receita Federal.

Para Ruivaldo Andrade, de 49 anos, nascido na região do Paiaguás, o Programa Social Povo das Águas chegou até a parte alta do Pantanal em ótima hora. "Está tudo inundado. Só vamos conseguir mexer na terra de agosto em diante. Até lá teríamos que aguentar quietos aqui", comentou o pequeno agricultor. Com a cesta básica e de legumes oferecida pela Prefeitura, a situação dele e da família fica um pouco mais cômoda. "Aproveitei para ir ao dentista. Estava com um problema na gengiva, resolvi e até já peguei remédio", disse Ruivaldo.

Para chegar a Corumbá, ele precisa navegar cerca de 8 horas de barco com motor pequeno. "Se formos de chalana, a viagem custa R$ 70. Aí tem que ter dinheiro para voltar e arrumar lugar para ficar pela cidade. Fica muito caro, ainda mais para quem não tem salário fixo", avaliou.

Prosseguimento

No sábado (21), último dia da oitava edição da ação, o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira e a primeira-dama, Beatriz Cavassa de Oliveira, coordenadora da iniciativa, estiveram no barco que levou a equipe até a parte alta do Pantanal sul-mato-grossense. O prefeito conversou com moradores, escutou agradecimentos, pedidos, sugestões da população e assegurou a sequência do trabalho nos locais distantes da zona urbana.

"Esta ação atende justamente esta população tão especial, pessoas que garantem a existência deste Pantanal. Por isso é fundamental que este projeto continue", afirmou Ruiter. Segundo o prefeito, o Povo das Águas ajuda a aproximar o Poder Público da população ribeirinha, garantindo melhor qualidade de vida aos pescadores e pequenos criadores espalhados por todo o Pantanal. "Precisamos ter um olhar mais atento, direcionado para as necessidades destas pessoas. Todos que aqui habitam precisam muito destes atendimentos", disse.

A ação, explicou Beatriz Cavassa, surgiu depois da realização da Ação Prefeito Presente no Pantanal. "Vendo a realidade desta população criamos este programa social", explicou a primeira-dama. "Estas famílias são cadastradas pela Secretaria de Assistência Social e a Defesa Civil. Aqui recebem vários auxílios e atendimentos médicos", complementou Beatriz.

Balanço

Durante este período da ação, 20 profissionais atenderam os moradores da Barra do São Lourenço, Porto São Pedro, São Francisco, Bonfim, Mato Grande, Porto Chané, Castelo, São Domingos Ramos e Paraguai Mirim. A ação é coordenada pela Secretaria Especial de Integração das Políticas Sociais e envolve as secretarias municipais de Saúde, Educação, Assistência Social e Cidadania, Defesa Civil e a Fundação de Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário. Nesta edição, foram assistidas 153 famílias, sendo que todas são moradoras da parte alta do Rio Paraguai. As informações são da Assessoria de Comunicação Institucional.

 

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
Comentários:

milena: essa equipe do povo das aguas, esta de parabens porque esse trabalho é muito legal,

Nézio Nery de Andrade filho: Parabéns ao projeto,Prossigam!!! O POVO DAS ÁGUAS merece esse cuidado especial.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE