Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
24 de Setembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Festival América do Sul terá participação de nove países

Fonte: Notícias MS em 13 de Abril de 2011

Fotos: Divulgação

Grupo Los Kjarkas, banda tradicional de música andina boliviana, é uma das atrações

Show de Rita Lee também foi confirmado pela organização do evento

O governo de Mato Grosso do Sul, por meio de suas Fundações de Cultura (FCMS) e Turismo (Fundtur), e curadoria compartilhada do Memorial da América Latina, promove, em Corumbá, de 27 de abril a 1º de maio, a 8ª edição do Festival América do Sul (FAS).

A edição deste ano está revestida de maior presença internacional dos nove países da América Latina que vão participar do evento: Argentina, Paraguai, Uruguai, Venezuela, Peru, Bolívia, Equador, Colômbia e Chile.

Outra novidade é que o FAS vai incorporar às suas atividades o I Festival Gastronômico Sabores das Américas, que será realizado no Centro de Convenções do Pantanal, com aulas-show com degustações e renomados chefs de cozinha do Brasil e do exterior.

O audiovisual também terá uma participação especial dos países vizinhos. A TV América Latina (TAL) vai apresentar a mostra de documentários da série Los Latino Americanos da TAL - Televisão América Latina. As produções são: Los Argentinos, Los Bolivianos, Los Peruanos e Los Paraguaios, que tratam dos vários aspectos do subcontinente latino-americano produzidos por diferentes países da região.

Homenageados

Serão homenageados nesta edição do FAS o músico Benites; a gestora do Moinho Cultural Marcia Rolon; o historiador Valmir Corrêa; a cantora argentina Amelita Baltar e o ator nacional Elias Andreato.

Atrações internacionais

Abrindo as portas para a internacionalização do festival, o grupo Los Kjarkas, uma banda tradicional de música andina boliviana, que está na ativa desde a década de 1960 e é considerada a mais conhecida banda do gênero em todo o mundo, se apresentará na noite de estreia do Palco das Américas com seu repertório andino. O destaque é a música llorando se Fue - Chorando se foi, traduzida para diversos idiomas e alcançou um enorme sucesso internacional.

Ainda na música, os paraguaios Hermanos Corbalan, dos irmãos e músicos Sixto e Juan Jorge Corbalán, prometem trazer o melhor da música instrumental paraguaia ao Festival. Consagrados harpistas, compositores e arranjadores, os Hermanos Corbalán já foram premiados em todo o mundo, tanto pelos seus trabalhos solos, como em dupla.

O argentino Pedro Aznar também se apresenta no Palco da Américas. Um dos maiores expoentes da música latina contemporânea, em 1978, formou com Charly García, David Lebón e Oscar Moro, o grupo Serú Girán, considerado pelo público e crítica como um verdadeiro mito na história musical argentina, influenciando várias gerações até os dias de hoje. Com o Pat Metheny Group, do qual foi multi-instrumentista e vocalista, ganhou três Grammys e fez turnês por todo o mundo. Hoje, se apresenta com banda própria, com a singularidade que a ampla experiência nos estilos Rock, Jazz e música popular de raiz argentina permite.

Amelita Baltar, uma das homenageadas do Festival apresenta o Tangamente, com o Ballet Stagium. O Ballet faz ainda um ensaio aberto ao público no Porto Geral.
Soledad Villamil é uma talentosa e reconhecida artista argentina, que transita pelo cinema, teatro, televisão e música. Protagonista do filme O segredo de Seus Olhos, ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2010, ela traz a Corumbá seu show musical. Acompanhada de banda, se apresenta com diferentes ritmos e climas musicais, onde a emoção é o foco do espetáculo.

Teatro

Argentina - Abanico de Soltera - textos desahojados para una Rosa granadina. É uma homenagem ao universo de Federico García Lorca.
Uruguai - Ninfas Del Lunfardo - Teatro, Tango y Poesia.
Bolívia - "Septiembre" Paraguai - José Gaspar (La Soledad del Poder).

Palestras

Duas palestras terão como tema países latino americanos: Imigração e Folclore Boliviano e a interativa Caminos Invisibles, um relato sobre o processo imigratório na America do Sul / Povos andinos no Brasil.

Cinema

Além da série da TAL outros filmes produzidos em países vizinhos serão projetados nos FAS. O Segredo dos Seus Olhos (Argentina/Espanha) e Gigante (Uruguai/Argentina/Alemanha/Espanha).

Artes Plásticas

A mostra de artes plásticas realizada durante o Festival, que nas outras edições aconteceu no Instituto Luiz Albuquerque (ILA), nesta edição terá um novo endereço, a Casa Vasquez, e traz a obra Intentos Fallidos (Tentativas) do artista colombiano Adriana Salazar. Apresenta também a mostra Banco Central Del Condor, do venezuelano Ricardo Benain e a exposição Circulando em Outras Dimensões, coordenada pela artista plástica brasileira Regina Carmona.

Artesanato

A Feira dos Países já é uma tradição no campo do artesanato no FAS. Este ano, além da presença dos artesãos do Paraguai, Bolívia, Chile, Equador, Venezuela, Colômbia, Uruguai e Peru, o Festival terá o Projeto Mãos Que Criam, que são demonstrações de técnicas de artesanato com mestres artesãos de Mato Grosso do Sul, Goiás e Paraíba.

Atrações Nacionais

Os grandes nomes da música nacional, o bom bahiano Morais Moreira, e a lenda do rock nacional Rita Lee serão as atrações nacionais do Palco das Américas. Fecham a programação musical os grupos Casuarina e o Sururu na Roda. Com nove anos de trabalho calcado no samba e no choro e três discos lançados, o Sururu na Roda se mantém ligado à proposta de resgate cultural do cancioneiro popular e propõe releituras de outros diversos ritmos que constroem a música popular brasileira. Já o Casuarina colocou na órbita do samba a juventude carioca, tornando o grupo um dos principais expoentes nacionais da nova geração sambista.

Mais música

O homenageado Benitez faz o show de abertura do Palco das Américas, que durante os cinco dias de festival ainda receberá:

A Velha Carne

Uma das atrações que vai representar musicalmente a cidade de Corumbá no Festival. Com composições e integrantes jovens, promete ousadia no repertório.

Jennifer Magnética

Mostrar o que pensa o velho ébrio na sarjeta ou o que sente a ‘tia' do balcão do buteco, por viver no submundo do submundo é o desafio que a banda se propôs a enfrentar em "O Verdadeiro Undergrond", show que dá nome ao novo CD da banda.

Diálogos

O show Diálogos propõe a fusão de uma orquestra tradicional com ritmos brasileiros, bolivianos e paraguaios. No palco estão os músicos da banda Muchileiros, (cujo vocalista é paraguaio), do Masis Brasil, especialistas em música andina, o boliviano Edgar Mancilla executando instrumentos típicos como as Zamponhas cromáticas, quenas, bombo leguero e músicos de orquestra regidos pelo maestro Eduardo Martinelli. A Orquestra Jovem da Fundação Barbosa Rodrigues fará uma apresentação no Museu de História do Pantanal (Muhpan).

Agemaduomi

Talento, amizade e uma pitada de irreverência. Com esses ingredientes, em 1995 foi formado o grupo regional de choro Agemaduomi, carinhosamente facilitado para "Agema". Sempre com a proposta de pesquisar e divulgar o chorinho - estilo musical tipicamente brasileiro que nasceu no final do século 19 - o grupo, desde o primeiro CD, "Proezas", lançado em 2002, procura inovar com arranjos novos e influência de grandes compositores, como Pixinguinha, Chiquinha Gonzaga e contemporâneos, como Jacob do Bandolim.

Show Gideão Dias

O Samba pede passagem e faz o cavaco chorar novamente em Corumbá. Gideão vai apresentar o show "Samba sem Fronteira", com composições próprias que conta os desafios do dia-adia de forma irreverente.

Marinho Azevedo

Cantor sertanejo da cidade de Corumbá, que tem seu repertório formado por músicas que vão da raiz sertaneja aos sucessos atuais.

Daniel De Paula

O artista é um tradicionalista quando se fala em música e seu show é feito com a Viola de Cocho, um patrimônio histórico imaterial, produzido em Corumbá pelo "Seu Agripino".

Forró Zen
O Grupo fez uma pesquisa dos ritmos nordestinos e inseriu no show "no Sertão do Pantanal" o timbre da viola caipira acompanhados pela "Catira".

Além de música, FAS traz teatro, cinema, literatura e oficinas

As atrações do Festival América do Sul 2012 envolvem as variadas formas de manifestação da arte. Além dos shows musicais que congregam milhares de pessoas, as apresentações teatrais, exibições de filmes, lançamentos de livros e oficinas completam o panorama que exibe a cultural sul-americana durante os dias do evento.

Artes Cênicas

A programação do 8º FAS está recheada de grandes peças de teatro e de dança, tanto nacionais como internacionais. O grande destaque nacional é apresentação da peça O Doido, do homenageado Elias Andreato, que se inspirou em grandes filósofos, poetas, pensadores e dramaturgos da história para falar de amor, arte e loucura. O texto foi criado a partir de obras de Artaud, Maiacovski, Rimbaud, Van Gogh, Cervantes, Shakespeare, Nietzsche, Nijínski, Tchecov, Dante, Goethe, Oscar Wilde, Fernando Pessoa e Ivan Ângelo. Vivendo personagens da dramaturgia mundial, Andreato usa apenas uma mesa e, por meio da palavra, busca encantar e arrebatar o público pelo pensamento dos grandes intelectuais.

Ainda na programação: Os Corcundas - Circo do Mato Grupo de Artes Cênicas; Subversivos - Cia. Dançurbana; As mentiras que os homens contam - Cia Teatral Atuantes; A serpente - OFIT (Oficina de Interpretação Teatral); A entrevista - GET (Grupo de Experimentos Teatrais); Incontornáveis - um teatro de incoerência e horror - Mercado Cênico; Duelo Especial - Touro Encantado x Touro Bandido - Grupo Desafio do Touro Candil; Baú de Histórias - Cia Ópera na Mala; Festa no Céu - Cia rodamoinho.

Cinema - Mostra Regional

Ela Veio me Ver
O filme conta a história de dois adolescentes tímidos, que passam uma tarde juntos pela primeira vez. Foi inteiramente rodado na cidade de Campo Grande. Participou do 27ª edição do Festival de Cinema Latino-Americano.

O Caso de Joanita

Baseado em um conto homônimo do escritor Augusto César Proença, foi rodado em Corumbá.

Cinema - Mostra Nacional

Reflexões de um Liquidificador

Um liquidificador pensa e narra essa história. Ele também conversa com sua proprietária, Elvira, uma senhora já da terceira idade. Logo descobrimos que os dois - Elvira e liquidificador - são cúmplices de um crime: o assassinato de Onofre, o marido de Elvira que depois foi moído no liquidificador. Num tom de humor negro e sarcasmo ficamos conhecendo como o liquidificador adquiriu vida ao ser reformado por Onofre quando o casal era dono de um pequeno bar, a Vitamina da Elvira. A história do casal é intercalada com o medo que a mulher tem de ser descoberta pela polícia e o aconselhamento e reflexões do sábio eletrodoméstico.

Subsolo - Mostra do diretor de fotografia Jaime Lerner (Rio Grande do Sul)

O que é ficar no escuro, sem saber como agir, qual direção tomar? Essa é a sensação de Mônica, que não consegue levar adiante a vida que o destino lhe reservou. Ela planeja com detalhes a despedida desta vida, mas o destino mais uma vez vai lhe pregar uma peça. Prêmio de Melhor Direção no Festival de Gramado, Melhor Direção, Atriz e Melhor Filme em Toronto - Brafft, Melhor Direção, Roteiro e Montagem no Festival de Canoa Quebrada, Melhor Trilha Mostra Gaúcha do Festival de Gramado e Prêmio Lecine.

Porto Alegre, Meu Canto no Mundo

Documentário que mistura ficção sobre a cidade de Porto Alegre, como se constroi e se modifica o olhar do cidadão, sobre o espaço urbano onde convive.
Após as apresentações haverá debates com o diretor de fotografia Jaime Lerner, com os diretores Essi Leal, Reynaldo Paes de Barros e com o escritor Augusto César Proença. Os debates serão mediados pelo cinegrafista de Mato Grosso do Sul, Candido Alberto da Fonseca.

Quebra-Torto com Letras

O Moinho Cultural continua sendo o espaço dedicado à literatura durante o Festival América do Sul, que nesta edição incorpora a música à literatura durante suas apresentações. Durante o FAS, sempre a partir das 8h, acontece o café da manhã pantaneiro e bate-papo literário.

Serão feitos os lançamentos dos livros: A literatura sul-mato-grossense na ótica de seus construtores, escrito por Maria da Glória Sá Rosa e Albana Xavier Nogueira; O lobisomem do trem do pantanal, de Jair Buchara Justiniano; Os pioneiros - a origem da música sertaneja de MS, do músico e jornalista Rodrigo Teixeira; O segredo da aprendizagem - transformando a rotina em ritual, da autora Jane Baruki Ferreira; Canção antiga - Pantanal revisitado, de Corintha Maciel; e Animais mais mais - música, poesia e muito +, do biologo e professor Paulo Robson de Souza.

A musicalidade do café da manhã pantaneiro ficará por conta do batepapo América Musical com Clayber de Souza e o Sarau Mais Caipira, um batepapo com apresentação de música de raiz e cancioneiros brasileiros com Suzana Sales, Ivan e Lenine Vilella.

Mais Festival

Durante todo o Festival América do Sul acontecem nas ruas de Corumbá apresentações artísticas das mais diferentes áreas. Mágicos, palhaços, mímicos, músicos, entre outros, farão da rua o seu palco, alegrando os transeuntes com muito bom humor.

Oficinas

Duas oficinas acontecem no festival: Oficina de Customização, ministrada por Ana Maria Ferreira Lopes, e a Oficina Lúdica de criação de instrumentos musicais com material alternativo, ministrada por músicos da Orquestra Jovem da Fundação Barbosa Rodrigues.

As visitações turísticas estarão abertas na Estação Natureza Pantanal - Fundação O Boticário, com a exposição interativa Estação Natureza Pantanal; no Muhpan, com a exposição: Passa no Museu que a arte te abraça; na Galeria dos Homenageados, com material que expõe vida e obra dos homenageados do FAS; e na Casa do Artesão de Corumbá, com mostras do artesanato local.

Mais de 800 mil pessoas participaram das edições anteriores do FAS, entre artistas, intelectuais, autoridades governamentais, estudantes, comunidades sul-mato-grossenses e dos países sul-americanos, além de turistas vindos de diversos locais do país e do mundo.

 

 

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
Comentários:

Antônio Carlos: Não acredito que o Marinho Azevedo foi chamado para cantar no FAS 2011. Já não basta todas as quintas-feiras na cabral ao lado de uma academia. E em 95% nas festas de finais de semana. Galera, já deu. Cadê as bandas de outras cidades, e do interior dos outros estados?

José Marcio: FAS tempo! Ta melhor que os últimos 5 anos! Tem discussões, artes na rua, cinema. Mas ainda falta uma pitadinha. Arrumar um bar oficial melhor que a 1054. Qual será desta vez? Arrume um casario desses la do porto coloque umas bandas da cidade e deixa o som rolar. Sai desssa de "BOATE". Mais o festival ta bacana. Pode ter certeza que estarei la!!!!!

HELENA: POXA TÁ FRAQUINHO DE ATRACOES NACIONAIS SÓ RITA LEE E MORAIS MOREIRA, TRAS UM GRUPO DE SUCESSO, RITA LEE NAO COM NADA .....HIIIII JÁ DEU

robson: de boas intencoes o inferno ta cheio

Ana: Verdade hein! Se continuar desse jeito, o FAS irá acabar... Super parada as atrações musicais ...

Paulinho: Será que esse ano terá o concurso "soy loco por ti América" ou também já foi excluído da programação?

Pierre Lustam Almeida: Bom, mas se a programação a cada ano que passa decai...os homenageados também, de quem foi a idéia de colocar a "gestora" (?)Marcia, como homenageada!Qual é o critério,rsrsrsrs...é a falta de critério?Pois, pessoas que merecem estão de fora!

Ademilson Baptista da Silva: Salvo algumas exceções, mais uma vez o festival América do Sul deixa a desejar em termos de repertórios e atrações para o nosso povo Corumbaense , Ladarense e hermanos Bolivianos, que saudades daquele festival que dava gosto de ir e participar, assistir, vibrar, de entretenimento, ta até vontade de ficar em casa assistindo televisão, porque não trazem o Padre Fabio de Melo, Marcelo, Bruno e Marrone, Perla, Luan Santana que é Sul Matogrossense, ou porque que os organizadores do FAS não fazem uma pesquisa de opinião publica e deixem o povão, a galera decidirem e coloquem a disposição em votação através da internet, ou telefonemas ou através de panfletos deciderem quais cantores e cantoras que gostariam de prestigiar, só espero que nos dias do cinema as projeções não fiquem só no avião, ou cheguem atrasadas, como em outros festivais e não esteja chovendo e a praça da independencia esteja bem limpa e com cadeiras suficientes para todo mundo assistir. Tá faltando criterios para melhorar o FAS, senão vai ficar sempre assim o FAS quem indica e quem realmente deveria ser homenageado não é. Nós Corumbaenses, Ladarenses e hermanos Bolivianos merecemos um festival de excelente qualidade. Tá dado o recado.

Fabio lauro cabral: Pra quem for no festival,aproveite e de uma passada no porto geral,no bar da sandrinha vai estar rolando um rock internacional da bolivia com um banda extraordinaria,eu moro em Santa cruz bolivia.

Michel Lorãn: As duas únicas atrações nacionais já caíram no desgosto antes mesmo de serem anunciadas. Também apoio uma enquete. Lembrando que o Festival precisam ganhar status no Brasil. Já é a oitava edição, e nenhuma repercussão nacional criou. Música BOA não é só os que aparecem na tv ou já apareceram, como é o caso de Rita Lee e Morais Moreira, tem muitos cantores de MPB que arrebentam no youtube, e muitos brasileiros tornaram-se fãs. Vamos pesquisar? Eu QUERO um FAS 2012 com direito a pedido da população Corumbaense, Ladarense, Boliviana, e porque não Sul- Matogrossense. Afinal, onde quer chegar o Festival América do Sul?

BUBA MARQUES: ESSE FESTIVAL CDA VEZ TA FICANDO PIOR TA UMA MERDA .......

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE