Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
24 de Novembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Após reportagem, agentes da Iagro são enviados para vacinar gado

Midiamax em 18 de Novembro de 2010

Após a publicação de reportagem nesta manhã (18) sobre o atraso na vacinação contra a febre aftosa na ZAV (Zona de Alta Vigilância), os agentes da Iagro foram convocados "com urgência" para começar o trabalho de imunização do rebanho na região de fronteira. A informação foi confirmada por servidores públicos que trabalham no órgão.  A “convocação emergencial” foi feita por e-mail e contato telefônico. “Agora vamos viajar. Tem colega nosso que está trabalhando praticamente sozinho em cidade da fronteira, e agora ele terá auxílio”, comemora outro agente. Todos temem ser identificados e por isso omitem os nomes das cidades onde trabalham. “Será fácil identificarem a gente se publicarem o nome das cidades”, explica ele.

Segundo a assessoria de imprensa do Governo do Estado, será divulgada uma nota com informações sobre os motivos do atraso na distribuição das vacinas e sobre o envio do pessoal especializado para aplicação das doses.

Atraso e risco

A campanha que obrigatoriamente deve seguir até que o serviço veterinário oficial relate a vacinação dos 800 mil bovinos da região, está atrasada, a denúncia foi de agentes da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) e produtores rurais da região.

Segundo um dos agentes, os produtores rurais estão até tendo prejuízos com o atraso das vacinas, que só podem ser feitas pelos agentes, pois o gato está na ZAV. “


“Tem vacina, chegou e não tem ninguém para fazer. Os produtores se sentem amarrados, pois não podem movimentar a ficha (ficha de vacinação)”, explica outro agente. Segundo eles, o produtor rural não pode fazer a vacinação, pois se trata de “agulha oficial”, ou seja, na ZAV, a vacinação deve ser feita pelos agentes sanitários.

Para os agentes entrevistados, a falta de manutenção do processo de vacinação contra a aftosa pode comprometer a sanidade animal em MS e deixa os produtores em situação muito difícil.

“Claro que isso vai comprometer. E o pessoal da Iagro sabe que isso pode comprometer. A gente liga lá, pergunta, questiona e eles dizem que não há nada definido. Que o Governo Federal não mandou a verba, ou que é para esperar”, contou à reportagem.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE