Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
22 de Julho de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Programa doa produção rural para entidades assistenciais

Da Redação em 30 de Agosto de 2010

Marcos Boaventura/PMC

Programa já beneficia 300 pequenos produtores rurais

Um programa desenvolvido pela Prefeitura Municipal em parceria com o Governo Federal está beneficiando 300 pequenos produtores rurais de Corumbá e, ao mesmo tempo, garantindo alimentação mais saudável a pessoas atendidas por instituições assistenciais da cidade. A ação teve início na última semana e integra o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) na modalidade Compra Direta Local com Doação Simultânea, uma das ações do Fome Zero, conduzido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

O programa está sendo desenvolvido pela Fundação Terra Pantanal em parceria com a Secretaria Executiva de Assistência Social, ligada à Secretaria Municipal de Ações Sociais. Juraci Aparecido Alves, gerente de Estudos e Projetos da Fundação, explica que, a partir da adesão ao programa do Governo Federal, a Prefeitura efetuou o cadastramento de 300 pequenos produtores rurais, que estão vendendo parte da produção diretamente ao município, para atender instituições assistenciais.

A primeira entrega ocorreu há alguns dias, quando a Fundação Terra efetuou a compra de 650 quilos de mandioca do produtor Marcos Correia de Almeida, 37 anos, proprietário de um sítio no Urucum. Na última semana, ele retornou à central de compras e distribuição, montada pela Prefeitura no prédio da Comissão Pastoral da Terra, localizado na avenida General Rondon, entre as ruas Tiradentes e Ladário. Chegou com mais produtos de seu sítio, couve e rúcula.

“O programa está sendo muito bom para nós produtores, principalmente o preço que está sendo pago pela nossa produção", afirma Marcos Correia. Conforme ele, antes havia dificuldades em vender parte da produção. “Agora tem endereço certo e, além de melhorar a nossa situação, o alimento está sendo destinado a pessoas que necessitam”, acrescenta.

Outro entre os 300 pequenos produtores rurais cadastrados pelo programa é Cícero Paulo da Silva, 69 anos, do Tamarineiro I. Ele também entregou parte de sua produção na central de compras e distribuição. A carga, rúcula e coentro, foi levada pelo filho, Azemiro Rodrigues da Silvas, 22 anos. “Já atendíamos o comércio de Corumbá. Agora estamos também vendendo direto para a Prefeitura e o dinheiro que entra ajuda a melhorar o nosso sítio, isto sem contar que estamos contribuindo para melhorar a alimentação de quem precisa”, diz.

Preço de mercado

Uma das vantagens do programa é o valor pago pela produção, uma média dos preços praticados no comércio local. Após levantamento em três estabelecimentos, é feita uma média e o resultado é o valor do produto que está sendo entregue na central. Ao mesmo tempo, é firmado um compromisso com o próprio produtor, que não pode deixar de atender o comércio, sendo incentivado a continuar entregando parte do que planta aos supermercados, sacolões e feiras livres.

Juraci adiantou que o programa prevê a compra direta de cada produtor em até R$ 4,5 mil ao ano. “Apenas parte da sua produção é adquirida pela Prefeitura, que faz a doação a instituições assistenciais, oferecendo alimentação mais saudável a crianças, adolescentes, idosos e pessoas necessitadas, assistidas por estas instituições”, comenta, lembrando que a Prefeitura entra com uma contrapartida.

São gêneros alimentícios variados: cebolinha, salsa, coentro, alface, rúcula, couve, cenoura, abobrinha, abóbora, moranga, tomate, mandioca, milho, tudo que é produzido pelo homem do campo está chegando à mesa das pessoas atendidas por instituições assistenciais. Ate o momento, cinco delas já estão cadastradas e recebendo as doações: Cidade Dom Bosco, Apae, Cripam, Asilo São José e Hospital de Corumbá.

Depois de receber 152 quilos de mandioca, Delair do Carmo Nunes Siqueira, coordenadora do projeto Criança e Adolescente Feliz (PCAF) da Cidade Dom Bosco, retornou à central. Desta vez, a Prefeitura doou tomate, salsa, cebolinha, couve e abóbora. “A iniciativa é excelente, pois os produtos que estão sendo entregues fortalecem a alimentação das crianças atendidas pelo projeto”, comenta.

Atualmente, são atendidos 280 crianças e adolescentes pelo projeto da Cidade Dom Bosco que oferece reforço escolar, oficinas recreativas e atividades esportivas a crianças carentes e em situação de risco. Todos recebem três refeições diárias: café da manhã, almoço e lanche à tarde. “Antes, comprávamos praticamente tudo. Recebíamos também doações, mas agora, com este programa, está mais seguro”, comemora. As informações são da Subsecretaria de Comunicação Institucional.

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE