Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
20 de Setembro de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

PM prende homem por tentativa de feminicídio no bairro Aeroporto

Ricardo Albertoni em 08 de Setembro de 2018

Homem de 34 anos foi preso em flagrante por volta das 16h30 de sexta-feira (07) por tentativa de feminicídio e violência doméstica contra a esposa de 20 anos. Consta no boletim de ocorrência número 5096/2018, que a equipe da Força Tática da Polícia Militar foi acionada para ir até residência situada no bairro Aeroporto, onde havia ocorrência de agressão.

Chegando no local, os policiais encontraram a vítima que apresentava grave ferimento na cabeça. Ela contou que foi até a casa pegar suas roupas e que em determinado momento o marido ficou "extremamente agressivo" e passou a ameaçá-la com uma faca e chaira (afiador de lâminas).

O homem deu um golpe que acertou o lado direito da cabeça da vítima, causando muito sangramento. Depois, com um galão contendo gasolina, ele passou a ameaçar colocar fogo na casa e a mulher só conseguiu escapar quando sua mãe a chamou no portão da casa.

A PM entrou na residência para deter o autor e precisou usar algemas para contê-lo. Ele foi levado para a Delegacia de Polícia Civil juntamente com a faca e um casaco com sangue da vítima enquanto a mulher foi encaminhada para o pronto-socorro, onde levou cinco pontos na lesão. 

O que é feminicídio?

O feminicídio é o crime de assassinato de uma mulher cuja motivação envolve o fato de a vítima ser mulher. Isso não quer dizer que todo assassinato de uma mulher seja um feminicídio, mas que todo assassinato de mulher que justifica-se pelo fato de a vítima ser mulher o é.

Algumas vezes, isso se expressa na forma do assassinato, apresentando mutilação ou ataques genitais. Outras vezes, o feminicído indica-se apenas na motivação, como a escolha de uma mulher para ser morta ou no fato do comportamento de determinada mulher ser a justificativa encontrada pelo assassinado para realizar a ação.

O feminicídio qualifica o crime, ou seja, torna-o mais grave. É mais grave, pois é um atentado direto a todo um gênero, um crime de misoginia comparável a, por exemplo, crimes de extermínio, com motivação baseada em uma característica alheia aos atos da vítima.

A lei do feminicídio foi sancionada no Brasil em março de 2015 pela Presidente da República como um gesto oficial de demonstração da importância da luta pela igualdade de gêneros e da intolerância da lei para crimes baseados em sexo.

As informações são do site Direitos do Brasil.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE