Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
20 de Agosto de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Roda de conversa lembra Dia Internacional da Mulher Negra em Corumbá

Da Redação em 25 de Julho de 2018

A passagem do Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra e o Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha – celebrados neste 25 de julho – será lembrada em Corumbá com a realização de um amplo debate para conscientização sobre a realidade nacional em torno dessa questão.

O debate é uma realização da Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria Especial de Cidadania e Direitos Humanos através da Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial, e será realizado na sede do CRAS I, que fica na rua Cáceres, bairro Centro América, a partir das 14 horas desta quarta-feira.

Coordenador de Promoção da Igualdade Racial, Jocimar Alves de Campos, informou que a ação contará com palestras e roda de conversa sobre a situação da mulher negra no Brasil. Ele antecipou que o mesmo tema será discutido na quinta-feira, dia 26, no CRAS III, localizado no bairro Cervejaria.

A data

O dia 25 de julho celebra o Dia da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha. A data foi criada em 1992, durante o primeiro Encontro de Mulheres Afro-Latino-Americanas e Afro-Caribenhas, em Santo Domingos, República Dominicana, como marco internacional da luta e da resistência da mulher negra.

Cerca de 200 milhões de pessoas que se identificam como afrodescendentes vivem na América Latina e no Caribe, e são as mais afetadas pela pobreza, marginalização e pelo racismo que atingem ainda mais as mulheres negras.

No Brasil, a data também é nacional, foi instituída pele lei nº 12.987/2014, como o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra.

Tereza de Benguela foi uma importante líder quilombola que viveu durante o século 18. Os quilombos eram formados por aldeias de escravos que fugiam das fazendas. Ela era casada com José Piolho, que chefiava o quilombo do Piolho ou Quariterê, nos arredores de Vila Bela da Santíssima Trindade, no Mato Grosso. Quando o marido morreu, ela assumiu o comando da comunidade, revelando-se uma líder. As informações são da assessoria de comunicação da PMC. 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE