Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
18 de Julho de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Após morte de companheiro de mais de 40 anos, festeira mantém "compromisso" com São João

Ricardo Albertoni em 22 de Junho de 2018

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Janete começou a promover a festa há aproximadamente 42 anos

São mais de 40 anos de tradição, mas desta vez é diferente. A celebração que se iniciou após a súplica da festeira e babalorixá Janete Alves Tinoco – Janete de Xangô, pela vida de uma filha, este ano está sendo marcada pela morte do companheiro. No início de junho, Janete perdeu o marido vítima de câncer, o também festeiro Melanias Barbosa, de 84 anos, mas, mesmo com a perda recente e a tristeza do luto, o compromisso será honrado.

“Comecei a fazer a minha festa há aproximadamente 42 anos. Minha mãe fazia, eu  participava,  mas não tinha compromisso nenhum. Fui ter o compromisso depois que minha filha ficou doente, que eu pedi ao santo e ela ficou boa. Minha mãe falou: ‘Janete, peça para São João, peça que ele vai te ajudar. Eu caí de joelho, pedi e ele me ajudou’. Ela ficou bem e eu sempre faço a festa com muito carinho e amor”, contou dona Janete, que tem 72 anos.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Mesmo com a perda recente do marido Melanias Barbosa (acima), o compromisso será honrado - Foto extraída do livro "Deus Te Salve João Batista", publicado em 2012

De acordo com a festeira, o compromisso inicial era de realizar a celebração por sete anos, entretanto, após esse tempo, nova crise da filha resultou em uma renovação do compromisso com São João, desta vez, até o fim da vida. “Depois de sete anos encerrei e ela (filha) teve outra crise, nessa quase morreu. Eu renovei meu pedido e disse que enquanto ele desse vida pra ela eu ia fazer até morrer. Hoje, essa minha filha é evangélica, pra ver como são as coisas. Mas quem fez a promessa foi eu e tenho que cumprir”, explicou Janete ao Diário Corumbaense.

A celebração acontece no dia 23, véspera do dia do santo, mas muito antes os preparativos começam. Este ano, devido a morte do marido, o ritmo na Tenda Espírita São João Batista se encaminha. O andor está sendo preparado, a lenha e o mastro foram encomendados e dona Janete, deixa um pouco a tristeza de lado para comentar que desta vez pretende mudar o cardápio do jantar que oferece antes de o santo ser levado para o banho nas águas do rio Paraguai, ponto alto da celebração. 

“No dia 23 pela manhã eu levo São João na missa e quando voltamos, sirvo o café da manhã e à noite tem o terço às 20h. Na hora que a gente vai descer, sirvo o jantar, porque eu prefiro que vá todo mundo de 'barriga cheia', fique satisfeito. Fazemos arroz carreteiro, mas esse ano vou mudar, vou fazer um arroz boliviano ou milionário. Depois do banho, subimos por volta das 22h/23h, levantamos o mastro, acendemos a fogueira e deixamos acesa. No outro dia (24) é a festa de Preto Velho que é dia dele, dia de Xangô”, detalhou dona Janete que há aproximadamente 30 anos se tornou umbandista e assim, a celebração ganhou mais um dia.

Mas como afirma a devota, bagunça não faz parte da tradição. Quem dá o banho no santo é ela e mais uma vez a lembrança do marido está presente. Foi ele quem fez o vasilhame utilizado na tradição, o coité, como a festeira define.  “Não deixo ninguém jogar água, quando vem aquele 'povaréu' falo: para, no meu santo não. No meu santo é eu que dou banho. Levo um coité, uma 'cumbuquinha' de coco que a gente tem ou de cuia - serviço do meu marido, ele que fazia as coisas pra mim - pego com a água como Jesus batizou Cristo, Cristo batizou João e despejo. Vem gente que quer que eu jogue e jogo em cada um”, explicou.

A própria festeira reconhece sua rigidez na maneira de conduzir as tradições, tanto nas celebrações de São João quanto nos trabalhos da casa de umbanda, mas, o que começou por causa do amor de mãe e se manteve forte durante mais de quatro décadas por meio de um casamento construído com base na cumplicidade e companheirismo, não teria outra receita para sua continuidade se não fosse o próprio sentimento que o iniciou.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

A filha Kelly Regina Tinoco Barbosa (à esquerda) e a neta Kevelyn Auxiliadora Tinoco (à direita) são as sucessoras de dona Janete (centro)

“Que os filhos sigam meu exemplo, façam as coisas com dignidade, com sinceridade e principalmente com amor. Porque tudo que a gente faz com amor, com amor a gente recebe”, afirmou a festeira emocionada com o olhar direcionado às suas sucessoras, a filha Kelly Regina Tinoco Barbosa e a neta Kevelyn Auxiliadora Tinoco, de 19 anos.

“Minha mãe é uma professora, meu orgulho, minha amiga, minha companheira. Eu digo que vou ficar com ela até o dia que Deus permitir, um companheiro já foi, mas ficamos só nós duas aqui. Estamos preparando a minha filha para que ela também venha no futuro assumir esse compromisso. Do mesmo jeito, dois dias, até a hora que Deus achar, sou umbandista, sou espírita e não digo que estou preparada pois não devemos dizer isso, mas a tradição vai continuar”, afirmou Kelly Regina.

O banho do santo

Na noite de sábado, 23 de junho, dona Janete, juntamente com festeiros de vários pontos de Corumbá descerão a ladeira Cunha e Cruz para o tradicional banho de São João. Durante o percurso, apesar da fama de casamenteiro ser de outro santo junino, Santo Antônio, muitas pessoas costumam passar por debaixo dos andores de São João para fazer pedidos, muitos desses em busca de saúde e principalmente de um relacionamento.

Em um ano em que para dona Janete a tristeza deve contrastar com a alegria da festividade, ela também fará seu pedido e um agradecimento.  “Eu não precisei passar embaixo de andor. Quando fiquei com ele eu tinha sete filhos de outro casamento e ele quatro. Tivemos mais um juntos e nós criamos todas as 12 crianças. Eu agradeço, foi Deus que me deu esse marido, não passei por baixo do andor, mas minha relação foi abençoada por São João. É triste, mas vai passar, não agora, pois são 42 anos de união e não é, não será fácil. Estou fazendo tudo de mim, levanto de madrugada, saio, rezo e peço a Deus que me dê força, que me ajude a caminhar”, finalizou.

Programação do Arraial do Banho de São João

O Arraial do Banho de São João começou nesta quinta-feira, dia 21, com o Concurso de Andor. Houve o show do grupo local Gurizada Baileira e da banda de renome nacional  Bonde do Forró.

Nesta sexta-feira, 22, se apresentam os pratas da casa Julia Castedo, Marcelo Oliveira e Marinho Azevedo. Os shows começam às 20 horas. Encerrando a noite, o cantor Cristiano Garcia sobe ao palco por volta da meia-noite.

No sábado, dia 23, além da tão esperada descida dos andores juninos pela ladeira Cunha e Cruz, a Prefeitura preparou uma série de atrações para os festeiros. A missa solene em louvor a São João será às 20 horas na sede da Oficina de Dança, na rua Antônio João.

No Porto Geral, o grupo Legião Pantaneira será o primeiro a se apresentar. A elevação do Mastro de São será precisamente às 23h30, acompanhada pela histórica roda de Siriri e Cururu. À meia noite, um show pirotécnico celebrará a chegada do Dia de São João. A noite prossegue com os shows de Os Garotos, Izze, Marcelo e Renato e Isac Brandão.

No domingo, dia 24, acontece o Concurso de Quadrilhas Juninas, às 18h30, o show local de Juninho e Luan e, por volta das 21 horas, a apresentação da dupla João Neto e Frederico, destaques do cenário nacional. Durante todas as noites, a partir das 18 horas, haverá ainda praça de alimentação, pau de sebo e a exposição dos Altares de Todos os Santos, de acordo com informações da assessoria de comunicação da PMC. 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE