Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
19 de Junho de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Policiais da DAIJI prendem homem acusado de estuprar sobrinha por nove anos

Ricardo Albertoni em 05 de Junho de 2018

Divulgação/Polícia Civil

Segundo levantamento da Polícia Civil, os estupros eram constantes e aconteceram dos 5 anos aos 14 anos da adolescente

Equipe da DAIJI (Delegacia de Atendimento à Infância, Juventude e Idoso) cumpriu no fim da manhã desta terça-feira, 05 de junho, mandado de prisão contra homem de 38 anos, identificado pela iniciais L.N.S, acusado de estuprar durante nove anos a sobrinha, atualmente com 16 anos de idade.

Segundo o delegado titular da DAIJI, Rodrigo Blonkowski, informações obtidas com base nas declarações da vítima, dão conta de que os estupros eram constantes e aconteceram dos 5 anos aos 14 anos da vítima. Nesse período, quando o acusado suspeitava que a adolescente poderia contar os abusos a uma tia, ele a ameaçava e a agredia.

A investigação se iniciou no dia 18 de abril, com o registro do boletim de ocorrência relatando a suposta prática de estupro de vulnerável. A partir daí, o delegado iniciou procedimento e ouviu vítima e testemunhas. Foi instaurado Inquérito Policial e a prisão do acusado foi representada pela autoridade policial chancelada pelo Ministério Público e deferida pelo Poder Judiciário. 

Às 11h desta terça, os policiais cumpriram o mandado expedido pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Corumbá. Após interrogado e submetido a exame, L.N.S foi encaminhado ao Estabelecimento Penal de Corumbá.

O delegado Titular da DAIJI, reforçou o comprometimento da instituição com identificação de casos de estupro de vulnerável e lembrou que a Polícia Civil está à disposição para receber denúncias. “Em 2018, a Polícia Civil já registrou dez casos relacionados à violência sexual contra criança ou adolescente, culminando com a prisão de nove indivíduos. A preocupação com os crescentes casos é grande, então, qualquer suspeita de abuso deve ser comunicada e averiguada criteriosamente. A pessoa pode procurar diretamente os investigadores da Polícia Civil na rua Major Gama, 290, centro (antigo Fórum) ou pelo fone 3234-9909”, disse o delegado Rodrigo Blonkowski.

 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE