Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
20 de Agosto de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

PT realiza plenária em Corumbá e garante que vai disputar o governo do Estado

André Navarro em 12 de Maio de 2018

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Humberto Amaducci, pré-candidato ao Governo do Estado, participou de plenária

Mantendo o discurso de “injustiça jurídica”, golpe e perseguição política, alegando que houve arbitrariedade nos processos que levaram muitos petistas para a cadeia, inclusive o presidente Lula, o Partido dos Trabalhadores acredita em uma reestruturação e, em reunião plenária realizada em Corumbá, na noite de sexta-feira (11) garantiu que vai disputar o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul e que Luiz Inácio Lula da Silva, será candidato a presidente. A reunião, aberta com a exposição dos trabalhos realizados por seus deputados federais, Zeca do PT e Vander Loubet, procurou mostrar que os representantes do partido têm uma folha de serviços prestados que pode auxiliar muito na campanha eleitoral. 

“É fazer o enfrentamento, nós tomamos a decisão, e correta na minha avaliação, e o Lula é o nosso candidato a presidente da República”, disse Humberto Amaducci, o pré-candidato petista ao Governo do Estado. “Nós temos que dizer que o que está acontecendo no Brasil é um golpe, continua acontecendo, não parou, e não é contra o PT, contra Lula, é contra o povo brasileiro, é contra a nação brasileira”, afirmou categoricamente, ao expor os motivos que o leva a pensar assim, citando as riquezas brasileiras que estão sendo mal aproveitadas, vendidas ou repassadas.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Amaducci já foi prefeito de Mundo Novo por três mandatos

Para tentar fazer uma boa disputa, o PT de Mato Grosso do Sul está tentando se aliar com os partidos de esquerda e com os movimentos sociais e sindicais, segundo Amaducci, que foi prefeito de Mundo Novo por três mandatos. Ele ressaltou que o PT está se fortalecendo cada vez mais no Estado e, além de Zeca do PT para o Senado, o partido procura montar uma chapa forte para disputar a Câmara Federal e a Assembleia Legislativa. “Estamos montando um grupo forte, aqui na região, temos o Machado”, disse, citando o ex-vereador por três mandatos, Carlos Machado, que é pré-candidato a deputado federal por Corumbá e Ladário e que já teve 22 mil votos em uma eleição disputando o mesmo cargo e, portanto, é tido como fundamental no processo de formação do grupo.

Amaducci enfatizou que os petistas têm que ter clareza na posição que exercem, que é a de esquerda. Ele afirmou que tem experiência político-administrativa e que, portanto, está preparado para disputar o governo. “Eu fui prefeito de Mundo Novo por três mandatos pelo PT e sempre trabalhamos muito com a participação popular, a gente ouve muito o nosso povo”, esclareceu. 

Na avaliação do pré-candidato ao governo pelo PT, o partido tem a compreensão da situação atual e afirma que há dois anos estava mais difícil. “Se você voltar dois anos estava muito mais difícil. Hoje a população começa a compreender melhor, por isso é que nós temos que estar no debate, pelo nosso lado também, porque até então, o que se escuta muito na grande mídia é que o PT inventou tudo o que há de ruim, coisa que não é verdade. Nós temos que compreender os nossos erros, as nossas falhas, mas nós acertamos muito no tempo em que administramos o Governo Federal, o Governo Estadual e as prefeituras de maneira geral, e essa tranquilidade nós temos que ter”, garantiu.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Carlos Machado (à esquerda) é pré-candidato a deputado federal pela segunda vez

Pacto político

Já Machado se disse favorável ao Pacto Político que vem se formando em Corumbá, mas afirma estar temeroso de que cada partido queira lançar o seu candidato para fortalecer as chapas que vão para a disputa. “Isso é natural de acontecer, não existe vitória sem disputa, mas preciso fazer avaliar quem realmente pode ter chances de se eleger”, avaliou ao afirmar que foi procurado por Zeca do PT e pensou muito antes de tomar a decisão de voltar ao cenário político do Estado em uma disputa por uma cadeira na Câmara Federal. “Nós temos o entendimento de que o PT pode fazer dois deputados federais e isso torna possível uma vitória nossa”, concluiu.

 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE