Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
17 de Agosto de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Sem registro de ocorrência grave, "Fronteira 67" abordou centenas de pessoas em quatro dias

Ricardo Albertoni em 07 de Maio de 2018

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Comandante da PM de Corumbá, tenente-coronel Silva Neto (à direita) fez balanço parcial da operação

Em coletiva realizada nesta segunda-feira, 07 de maio, com a presença do comandante do CPA-3 (Comando de Policiamento de Área – 3), tenente-coronel PM Hélio Gauto Rios; do secretário Especial de Segurança Pública e Defesa Social de Corumbá, tenente-coronel PM César Freitas Duarte, o comandante do 6º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel PM Silva Neto, fez um balanço dos primeiros quatro dias da “Operação Fronteira 67”, deflagrada na última quinta-feira, 03 de maio.

Segundo o comandante Silva Neto, as ações desenvolvidas até agora pelas equipes que compõem a força tarefa, alcançaram o objetivo principal, que é trazer sensação de segurança para a população com a atuação estratégica do efetivo combatendo a criminalidade em locais apontados como críticos pela própria comunidade e prevenindo ações criminosas através do policiamento preventivo intensificado nas regiões urbanas de Corumbá e Ladário e rural, como assentamentos e distrito de Albuquerque.

O balanço parcial divulgado aponta que quase 1.000 pessoas foram abordadas, somente nos últimos quatro dias. Cerca de 190 veículos foram vistoriados e 11 mandados de prisão foram cumpridos. Foram 50 notificações de trânsito e aproximadamente 20 veículos foram removidos ao pátio do Detran. Segundo Silva Neto, durante as ações, não houve troca de tiros ou ocorrência de maior relevância. Fato que, segundo o oficial, se deve ao empenho das ações preventivas na região.

“Não houve uma ocorrência de vulto, não foi apreendida grande quantidade de droga - 196 gramas em papelotes em condição de tráfico de drogas em que o autor foi preso - não houve troca de tiros, mas a grande vitória dessa operação foi no campo da prevenção. A sensação de segurança que foi trazida para as pessoas com uma redução expressiva do número de ocorrências graves e chamadas no telefone 190”, disse o comandante.

Apoio das Forças

Para a realização da “Fronteira 67”, nos últimos quatro dias, a Polícia Militar de Corumbá teve a parceria de órgãos de segurança como Bope, Getam e Força Tática do 7º BPM e do 11º BPM, PRE, GPA (Grupamento Aéreo da PM), Guarda Municipal e Polícia Boliviana. Marinha e Exército apoiaram com a disponibilização dos alojamentos aos militares.

Segundo o comandante, a operação também atendeu solicitação do prefeito Marcelo Iunes que pediu o reforço ao tenente-coronel PM Hélio Gauto Rios, comandante do CPA-3 que engloba as cidades de Corumbá, Aquidauana, Jardim e Bonito. Militares das três cidades estiveram atuando em Corumbá, em torno de 40 policiais, realizando o apoio aos policiais de Corumbá que executaram as ações em escala extra. O serviço diário transcorreu normalmente, não houve alteração.

Divulgação/Polícia Militar

Pelo mil pessoas foram abordadas durante a operação conjunta

Silva Neto destacou a parceria da PM com a Guarda Municipal, principalmente com a presença do ex-comandante do 6º BPM tenente-coronel PM César Freitas Duarte à frente da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Município. “Destaco a importância da parceria entre os órgãos de segurança de Corumbá. A Guarda Municipal, a Agência de Trânsito que junto com a PM realizou várias operações de trânsito. A integração dos trabalhos da Polícia Militar com a Guarda Municipal sempre foi grande. Agora com a presença do coronel Freitas facilitou demais, aumentou o grau de integração entre as instituições, tanto é que equipes da GM integraram as guarnições que foram utilizadas na operação”, afirmou o comandante da PM Silva Neto.

Houve ainda ações executadas pelas autoridades bolivianas no país vizinho. Segundo Silva Neto, o Comando da Fronteira foi procurado e planejou operações que receberam reforço de Santa Cruz-Bolívia.  “O Comando foi procurado para informar sobre a operação e eles também simultaneamente receberam reforço e realizaram uma operação do lado boliviano. Isso por si só já caracteriza uma vitória porque você ter em uma faixa de fronteira, países diferentes trabalhando juntos, coordenadamente, a cidade, a região só tendem a ganhar. Essa parceria não se restringe apenas a operação ou ao período da operação. Existe hoje uma coordenação e trabalhos entre a PM de MS, Corumbá especificamente, e Polícia Boliviana muito grande e tem dado certo”, informou.

Apoio da população

Segundo o comandante, as ações foram executadas com base nas informações repassadas pela população. À medida que a cidade cresce e há um aumento territorial, como no caso de Corumbá e o efetivo não acompanha esse crescimento, existe a necessidade de ações como essas para auxiliar na manutenção da ordem pública.

Silva Neto explicou que o comando entendeu que era necessário a realização de uma operação, principalmente em locais onde havia mais incidência de problemas, como nos novos conjuntos residenciais da parte alta.

“De uma maneira geral, procuramos trabalhar naqueles locais que vêm sendo alvo de críticas ou reclamações. Temos um contato com os Conselhos de Segurança e de bairros, e em cima da informação que esses representantes nos passam, procuramos dar uma atenção maior àqueles locais que apresentavam mais problemas a exemplo dos conjuntos que foram ocupados recentemente e que vêm enfrentando uma situação de segurança pública complicada. Mas, não existe um bairro específico, procuramos trabalhar na cidade”, frisou.

Foram realizados estudos com base em informações da própria população e traçadas estratégias para solucionar problemas relacionados à adaptação dessas pessoas sob novas condições de moradia. Além disso, estratégias de policiamento foram montadas para coibir  crimes realizados nos arredores dos pontos.

A Operação também contou com ações na parte baixa de Corumbá. Cervejaria, Beria Rio e Borrowisk estiveram entre os pontos cobertos, principalmente com o auxílio do Grupamento aéreo.

75 novos policiais

O comandante do 6º BPM falou do efetivo abaixo do ideal na região. Silva Neto destacou que a previsão é que haja esse aumento após o concurso da Polícia Militar, que deve acontecer em agosto deste ano. A expectativa é que Corumbá recebe um reforço de 75 novos policiais militares em 2019. Hoje, Corumbá opera com um efetivo 50% menor do que o previsto.

“No primeiro momento o que a gente pode falar é que após realizado o concurso para a Polícia Militar a expectativa é que venham para a cidade de Corumbá, 75 policiais militares. É um número significativo que vai trazer com certeza um desafogo para o 6º Batalhão e uma melhor condição de segurança pública para os moradores da região”, disse Silva Neto.

Operação continua

Assim como aconteceu durante o carnaval de 2018, quando a cidade recebeu apoio de vários policiais para reforçar a segurança no evento, o Festival América do Sul Pantanal, que acontece de 24 a 27 de maio, também vai receber reforço para que o serviço diário da PM não seja prejudicado. O coronel Silva Neto reforçou que “Operação Fronteira 67” vai continuar até o final deste mês, englobando o FASP. Parte do efetivo que veio de fora já retornou para suas bases e outra parte está na cidade reforçando o policiamento.

 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE