Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
14 de Agosto de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Incentivo fiscal para quem é de casa também

Da Redação em 30 de Abril de 2018

Atraindo empresas

Lei de incentivo fiscal legalmente aprovada pela Câmara Municipal de Corumbá em 2013, está ajudando a atrair novos empreendimentos para o município. Isso significa geração de renda e abertura de postos no mercado de trabalho.

Um dos requisitos

A lei especifica que, para conseguir os benefícios é necessário que o novo empreendimento empregue pelo menos 40 pessoas. São 40 famílias que terão a oportunidade de viver dignamente recebendo um salário fixo todos os meses.

Santo de casa

Ao contrário do que diz o ditado, a administração municipal concedeu os benefícios a uma empresa de Corumbá. O Atacado Fernandes, segundo o Executivo Municipal cumpriu todas as exigências da Lei Complementar 160/2013 e vai ter 10 anos de isenção de IPTU e ISS. Outras que cumprem as exigências podem buscar os mesmos incentivos.

Novo mercado

O novo mercado que está sendo construído e conquistou os benefícios, fica no bairro Nova Corumbá, no antigo prédio do Barracão de Zinco, e deve gerar cerca de duzentos empregos. Isso demonstra que a empresa é empreendedora e merece receber os mesmos incentivos que as empresas que vêm de fora, a exemplo do que conquistou a Caimasul, que tem o frigorífico de jacarés, na gestão passada.

E o município

Demonstra estar mesmo em busca de novos empreendimentos que possam empregar sua gente diminuindo assim a taxa de desemprego

O prefeito

Marcelo Iunes garantiu em sua página no Facebook que outras empresas ingressaram com processo em busca dos benefícios da lei de incentivos fiscais. Com isso fica claro que a cidade receberá novos empreendimentos. Vamos aguardar...

Feriadão, pra que serve?

O Brasil vive mais um feriadão que faz muitas portas fecharem e o contribuinte passar dias sem atendimentos importantes. A paradeira funciona mesmo para os poderes públicos que se mantêm com o dinheiro do povo, com a arrecadação dos impostos que os políticos vivem querendo aumentar sob a alegação de que "o dinheiro não dá para sustentar o país".

Também pudera

O Congresso Nacional e a Justiça em todas as suas instâncias, órgãos que custam uma fortuna ao país, tiram mais de uma férias por ano, ostentam verdadeiros salários de marajás, além dos penduricalhos, e ainda têm feriadão, que em alguns casos, duram uma semana inteira...

Tem parlamentar

Que viajou para o seu estado de origem, com passagem aérea paga com dinheiro do povo e vai passar a semana por lá. É só conferir a lista de presença na Câmara e no Senado. Isso se o colega não marcar o ponto do outro, como já foi flagrado.

Enquanto isso

Quem precisa de dinheiro para pagar as contas e os impostos continua trabalhando. Pelo menos nesta segunda-feira o comércio está aberto e indústrias funcionando normalmente.

Meu Brasil Brasileiro

Este é o Brasil, onde muitos trabalham pelo enriquecimento de poucos. Um país onde o dono do dinheiro tem que ralar muito para bancar a classe política e a justiça. Ou seja, um lugar onde não há justiça para o povo injustiçado, um mundo particular onde o dinheiro compra tudo, para os seus pseudos donos, não para os donos de fato.

Mudando de assunto

O avião abatido pela FAB vindo da Bolívia, estava mesmo carregado de cocaína. Os policiais encontraram a aeronave que fez pouso forçado em solo mato-grossense, com 500 kg de cocaína à bordo.

Isso faz pensar

Quantos desses ingressam no espaço aéreo brasileiro trazendo drogas e contrabando?. Pousam em pistas rurais dos grandes municípios consumidores e distribuem a mercadoria para uso nas metrópoles.

Então

A teoria mais certa é de que, é mais eficaz fiscalizar as fronteiras e impedir a entrada da droga no Brasil, do que manter quatro mil soldados no Rio de Janeiro, pegando onda na "maresia" dos morros cariocas.

 

* Detalhe é uma coluna de opinião do Diário Corumbaense que aborda os mais variados assuntos. 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE