Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
22 de Abril de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Prestes a ser fechada, janela partidária agita a classe política do Estado

Campo Grande News em 07 de Abril de 2018

A poucas horas do fechamento da janela partidária – que permite aos parlamentares trocarem de partido sem o risco de perderem os mandatos – e do término do prazo para que pretensos candidatos nas eleições deste ano se filiem a partidos, as agremiações em Mato Grosso do Sul registram grande movimentação. As adesões “de última hora” foram anunciadas por diversos partidos, alguns deles reservando para as últimas horas deste 07 de abril, exatos seis meses antes das eleições, a confirmação de reforços.

Um balanço final sobre o resultado do prazo de filiações e do vai-e-vem partidário só deve ser consolidado na próxima semana. Mesmo assim, os efeitos da janela já são visíveis em Mato Grosso do Sul: se antes do período de 30 dias para trocas de partidos a expectativa era de poucas mudanças, o que se viu na verdade foi uma movimentação intensa que contou, inclusive, com o esvaziamento de alguns partidos.

Um dos primeiros lances envolveu a filiação do deputado estadual George Takimoto no MDB, visando uma eventual candidatura a deputado federal. Embora ele afirme que saiu sem mágoas no PDT, era alvo de setores da direção do partido por conta de sua posição em temas sensíveis à legenda –como o apoio à reforma da Previdência estadual. Takimoto era o único pedetista na Assembleia de Mato Grosso do Sul, onde outra bancada foi extinta em questão de horas.

PR

Movimentações com o aval da Direção Nacional do PR culminaram na saída dos deputados Grazielle Machado e Paulo Corrêa do partido. Eles se mostraram descontentes com a deliberação para que a legenda caminhasse com o MDB e tivesse entre as prioridades a candidatura a deputado federal de Edson Giroto – um dos principais investigados na operação Lama Asfáltica. O PR negociava a aproximação com o PSDB, partido ao qual Corrêa se filiou.

Já Grazielle deu representatividade ao PSD na Assembleia Legislativa, sendo acompanhada no novo partido pelo pai, o ex-presidente do PR Londres Machado –que confirmou à reportagem dar início, na semana que vem, a uma maratona de visitas no interior em busca de integrantes de seu grupo político que não vão disputar as eleições, a fim de também integrarem o novo partido.

Mais trocas

No PSDB, Paulo Corrêa foi o único reforço parlamentar confirmado até aqui. O deputado estadual José Carlos Barbosa, em vias de deixar o PSB, recebeu convite para integrar a legenda, mas se filiou neste sábado ao DEM e disse que sua nova legenda vai buscar uma “chapa forte” para concorrer aos legislativos estadual e federal, sem contar a possibilidade de lançar candidato ao governo.

O também deputado estadual Zé Teixeira (DEM) também sinalizou interesse na posição do partido a fim de definir sua permanência, já que sua tendência para as eleições seria uma aproximação com o PSDB. Os Democratas realizam na manhã deste sábado (07) evento na Capital para receber reforços.

Ainda na Assembleia, Mara Caseiro teve a saída do PSDB ventilada, sendo justamente o PSB o destino cogitado. A reportagem não conseguiu contatar a deputada para confirmar a movimentação.

Os socialistas tiveram um reforço vindo do ninho tucano: o deputado federal Elizeu Dionizio migrou para o PSB na busca por um partido no qual pudesse pavimentar seu projeto de reeleição. Contudo, perderam Ricardo Ayache, que também anunciou se afastar momentaneamente da política a fim de se concentrar na gestão da Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores de Mato Grosso do Sul).

Aproximações

O encerramento da janela também serviu para indicar prováveis alianças nas eleições, mesmo com a confirmação das coligações sendo aguardada apenas entre julho e agosto, após as convenções partidárias. Uma das primeiras dobradinhas confirmadas até aqui envolve o PDT, de Odilon de Oliveira, e o Podemos, que tem Chico Maia como pré-candidato ao Senado. Na sexta-feira (06), os partidos anunciaram cerca de 60 filiações de lideranças comunitárias.

O Podemos, porém, perdeu a vereadora campo-grandense Cida Amaral, que tentará vaga na Câmara dos Deputados pelo Pros.

No dia anterior, o presidente nacional do Solidariedade, o deputado federal Paulinho da Força (SP), esteve em Campo Grande para confirmar entendimento com o PSDB, em reunião com o governador e candidato à reeleição de Reinaldo Azambuja (PSDB). Ficou acertado o retorno do parlamentar a Campo Grande no dia 14, para oficializar a parceria construída ainda nas eleições de 2014.

O MDB, por seu turno, recebeu sinal de aliança do PTC, costurada até aqui em torno da possível candidatura do ex-governador André Puccinelli ao Parque dos Poderes.

Oficialmente, a Justiça Eleitoral encerra neste sábado o prazo de filiações – como os cartórios não abrem nos finais de semana, a documentação deve ser encaminhada na segunda-feira (09), quando será possível obter um panorama mais realista sobre o cenário partidário sul-mato-grossense.

 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE