Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
24 de Abril de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Articulação fracassa e assembleia aprova reajuste sem incorporar abono

Campo Grande News em 04 de Abril de 2018

Foi aprovado nesta quarta-feira (04) em segunda votação na Assembleia Legislativa o projeto de lei do Governo de Mato Grosso do Sul que reajusta os salários dos servidores estaduais em 3,04%. Além do percentual, o abono de R$ 200 foi mantido por mais um ano e não incorporado aos vencimentos, como defendiam os representantes dos servidores. Foram 19 votos a favor e nenhum contra.

Miriam Machado/Campo Grande News

Foram 19 votos a favor e nenhum contra

O percentual foi calculado de acordo com a inflação dos últimos 12 meses, medidos pelo IPCA/IBGE e os efeitos começam a partir de abril.

Sobre o abono de R$ 200, a base aliada a Reinaldo (PSDB) tentou forçar uma emenda, para que o valor fosse incorporado ao salário dos servidores a partir de 2019. No entanto, a emenda não teve acordo de liderança, pois a bancada do PT não aceitou. A oposição teria consultado os representantes dos servidores.

Conforme os servidores, a incorporação no salário deveria ocorrer de forma imediata, para este ano, e não ficar condicionada ao próximo governador. Eles alegam, que a emenda poderia ser questionada na Justiça e, que se for assim, é melhor negociarem diretamente com o próximo governador.

Para Beto Pereira (PSDB), os servidores perderam a oportunidade do abono ser incorporado ao salário no ano que vem.

O projeto foi apresentado na última terça-feira (27), no mesmo dia, o líder do Governo, o deputado Rinaldo Modesto (PSDB), pediu regime de urgência e foi atendido pelos colegas. Na quarta (28) foi aprovado em primeira votação.

“Há limitações da Lei das Eleições e de Responsabilidade Fiscal. Não podemos dar nada além da revisão geral de 3,04%. Não é falta de vontade política. Nossa limitação é legal”, disse ViegasO secretário-adjunto estadual de Administração e Desburocratização, Édio Viegas.

O coordenador do Fórum dos Servidores, Fabiano Reis, já havia afirmado ao Campo Grande News, que o percentual não valoriza os servidores.

 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE