Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
23 de Junho de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Agepen investiga morte de detento enforcado pelo PCC dentro de presídio

Campo Grande News em 26 de Março de 2018

A Polícia Civil e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) estão investigando o assassinato do detento Divino Ferreira, 28, encontrado morto por enforcamento na PED (Penitenciária Estadual de Dourados) na quarta-feira (21).

Reprodução

Divino Ferreira em imagem reproduzida do vídeo em que deixou recado antes de morrer

Conhecido como “Chimbinha”, o preso aparece em um vídeo, gravado com celular dentro da cadeia, admitindo ser simpatizante da facção Comando Vermelho e que por isso iria morrer. O vídeo foi gravado por pelo menos outros dois detentos, integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital), grupo rival ao Comando Vermelho.

Além do vídeo com a mensagem de Divino aos antigos companheiros de facção, outro foi gravado após ele ser enforcado. Nas imagens, um detento arrasta o corpo dele puxado pela corda amarrada ao pescoço da vítima enquanto outro pisa no cadáver.

“O caso está sendo investigado para que medidas sejam tomadas”, se limitou a informar a Agepen, através da assessoria de imprensa. Segundo a agência, por medida de segurança não pode revelar mais detalhes sobre a morte.

Além do assassinato ocorrido possivelmente durante o banho de sol, a Agepen terá de explicar como os vídeos foram gravados dentro da penitenciária sem que as cenas tenham sido vistas pelos agentes penitenciários. A presença do celular nas celas também deve ser alvo das investigações.

Mensagem ao CV 

A gravação começa com Divino se apresentando e confessando ter baleado duas crianças e uma senhora. Em frente ao aparelho celular, o preso afirma ter sido simpatizante do Comando Vermelho e que deixaria um recado.

“Meu nome é Divino Ferreira, baleei duas crianças e uma senhora. Fui simpatizante do Comando Vermelho, oposição, e hoje venho deixar um recado aqui para todos, que está aqui no MS, no estado do MS, que quem tá aqui é o PCC. É o PCC que tá na pista aí, dando recado para os 'coisa brava', que é a oposição(sic)", afirma, antes de ser morto.

“Eu vou morrer hoje entendeu, porque eu fui simpatizante do CV, da oposição, e chamava o PCC de PCxota, PCcu e, por isso, que eu vou morrer(sic)”, diz o detento, a mando dos outros presos.

A morte

Divino Ferreira foi encontrado morto por enforcamento na PED por volta de meio-dia de quarta-feira (21) no pátio do raio II do presídio, onde ficam detentos ligados às facções criminosas.

De acordo com o boletim de ocorrência, o corpo estava pendurado em uma grade, no pátio do pavilhão. O caso foi registrado na Polícia Civil como morte a esclarecer, mas o corpo possuía sinais de violência, o que afastava a possibilidade de suicídio. Os vídeos divulgados através de aplicativos confirmaram o assassinato.

Condenado por tráfico de drogas, Divino Ferreira tinha sido transferido de Ponta Porã para Dourados no dia 16 deste mês.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE