Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
14 de Agosto de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Seminário debate uso da água com qualidade, sua preservação e benefícios para a saúde

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 23 de Março de 2018

Ontem (22), Dia Mundial da Água, o 4º Seminário em comemoração à data foi promovido pela Prefeitura de Corumbá, através da Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com o Campus Pantanal da UFMS. Com o tema “Soluções naturais para a água”, o evento teve como objetivo incentivar o público a preservar a água, usá-la de maneira racional e com qualidade. O seminário foi organizado pela Coordenação de Vigilância em Saúde Ambiental e aconteceu no campus universitário.

Gisele Ribeiro/PMC

Estudantes participaram do evento e conferiram apresentações de universitários

“Vivemos em uma cidade onde há a maior planície alagada do mundo, que é o Pantanal. Temos água em abundância, mas não é o que acontece na maior parte do mundo. Precisamos discutir mais sobre sua conservação e seu uso adequado. Um dos trabalhos da Secretaria de Saúde é exatamente orientar a população quanto ao armazenamento adequado desse recurso renovável, a vigilância sob sua qualidade e seu uso nos mais diversos segmentos da saúde pública. Eventos como este seminário levam o tema ao debate e à conscientização tão necessária nos dias atuais”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Rogério Leite.

Marly Brazil, coordenadora de Vigilância em Saúde Ambiental do Município de Corumbá, falou sobre a importância de estudantes como público-alvo do evento. “Os estudantes são multiplicadores e a gente precisa passar essas informações para eles desde novos para começarem a ter olhar diferenciado sobre a água para preservá-la e consumi-la com qualidade”.

Ela afirmou que a Prefeitura de Corumbá trabalha com o monitoramento da água, principalmente daquela destinada ao consumo humano. Toda semana, a Vigilância Ambiental faz coleta em escolas, creches, hospitais, postos de saúde e lugares com muita concentração de pessoas para fazer análise. Se for detectado algum problema, a concessionária de água é notificada para resolver. Caso a dificuldade não seja na água vinda da rua, o responsável pelo local é orientado quanto ao armazenamento dela.

Logo pela manhã, alunos da Escola Estadual Carlos Castro Brasil puderam observar a exposição e apresentação de trabalhos realizados por estudantes da disciplina “Ambiente e Saúde” do curso de Ciências Biológicas da UFMS/CPAN. À tarde, o seminário prosseguiu com quatro palestras de professores e profissionais de atuam de alguma forma com a água, seja com pesquisas e análises como também com sua conservação. 

O professor  Fabiano Quadros Rückert explanou sobre uma perspectiva histórica da relação entre o ser humano e a água a partir da problemática da transmissão das doenças e do processo de criação de técnicas para captação, tratamento e distribuição de água. “Existe uma historicidade nesse processo de uso de águas, do conceito de potabilização”, afirmou. Para ele, o seminário é válido pelo caráter interdisciplinar. “Temos aqui visões diferentes sobre o uso da água que reforçam a importância do uso correto, da discussão sobre gestão pública de águas. O evento é positivo também por sua proposta interdisciplinar e pertinente dentro do calendário em que se propõe o dia 22 de março”.

A responsável pelo Núcleo de Educação Ambiental do IBAMA em Corumbá, Thainan Silva Bornato, citou alguns exemplos de casos em que a instituição teve agir de maneira interventora para proteger ambientes com água natural. Um dos casos foi sobre o córrego do Urucum que secou devido às atividades de uma mineradora. Depois da intervenção, a mineradora teve que trabalhar para que as águas do córrego voltassem a correr, o que de fato aconteceu, embora a nascente tenha secado. “O papel do IBAMA é cobrar que as empresas efetuem as condicionantes da licença de operação”, afirmou Thainan.

Já o professor William Marcos da Silva discursou sobre saúde e água, expondo a sua importância para o corpo humano e apresentando pesquisas de qualidade de água realizada em Campo Grande. Posteriormente, Grace Bastos, chefe do Centro de Controle de Vetores (CCV), falou sobre os reservatórios de água em nível de solo, muito comum em Corumbá. Após debate, o seminário foi encerrado.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE