Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
20 de Maio de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Saúde reforça que paciente em iminente risco de morte é prioridade no pronto-socorro

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 14 de Março de 2018

A Secretaria de Saúde de Corumbá reforça que as duas unidades de urgência e emergência do Município estão à disposição da população 24 horas. Porém, o pronto-socorro e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) seguem protocolo de atendimento definido pelo Ministério da Saúde, reconhecido internacionalmente por sua eficácia. A prioridade máxima nessas unidades é o socorro àqueles que chegam com risco iminente de morte, o que leva os demais a esperarem um pouco mais por atendimento.

Renê Marcio Carneiro/PMC

Tabela de classificação de risco é protocolo para atendimento no pronto-socorro e UPA

“Houve demora ontem [13 de março] no atendimento do pronto-socorro à noite por vários motivos. Um deles, é que houve vários atendimentos na sala vermelha, que é a prioridade do pronto-socorro. Quando há um paciente nessa sala vermelha, todos os outros atendimentos são paralisados e a atenção toda é voltada para a pessoa que está na sala. Além disso, tivemos coincidência de dois médicos que são muito criteriosos no atendimento e isso acaba demandando pouco mais de tempo na espera das pessoas que aguardavam”, explicou Emerson Moreira, médico coordenador do pronto-socorro e UPA.

Ele esclareceu ainda que essas unidades seguem prioridade de atendimento baseado no Protocolo Manchester. Por esse protocolo, as pessoas que chegam a essas unidades são classificadas por cores, após triagem baseada em sintomas, de forma a representar a gravidade do quadro e o tempo de espera para cada paciente. Essa é a classificação de risco, onde a maior prioridade é a vermelha, seguida da amarela, depois a verde e da azul. O paciente classificado pela cor azul pode esperar até quatro horas por atendimento, conforme norma. No entanto, o médico afirmou que essa demora quase nunca acontece em Corumbá, com exceção de situações excepcionais, como aconteceu na noite de terça-feira, 13 de março.

Naquela noite, chegou ao pronto-socorro um paciente com sintomas de infarto, logo no início da noite. Havia dois médicos no plantão que deram prioridade máxima a ele. Além dessa pessoa, outros pacientes apareceram com prioridade para cor vermelha, o que levou àqueles classificados nas cores azul e verde esperarem um pouco mais que o habitual. “Na sala vermelha são atendidos os pacientes que estão em iminente risco de morte. Eles são prioridade no atendimento. Naquela sala, podemos dar o suporte de vida para aquela pessoa”, explicou Emerson Moreira.

A classificação das cores é feita com uma enfermeira, de nível superior, treinada para isso e que se baseia no protocolo de atendimento. Conforme o médico, todos os hospitais que trabalham com urgência e emergência utilizam esses critérios que são mundialmente reconhecidos. Ele disse ainda que pacientes que são classificados nas cores verde ou azul são aqueles que deveriam, a priori, receberem atendimento nas Unidades Básicas de Saúde.

“A gente entende que pela dificuldade de agendamento, da pressa da pessoa em ser atendida, elas acabam indo ao pronto-socorro e nem por isso vão deixar de ser atendidas, lembrando também que temos a UPA que segue o mesmo critério do pronto-socorro e que a chance de ter paciente na sala vermelha é menor, porque como não temos apoio dos especialistas lá, as ambulâncias do SAMU e Bombeiros acabam indo direto ao pronto-socorro que está colado ao hospital. Por esse motivo, temos mais emergências no pronto-socorro do que na UPA. Geralmente, os casos de iminente risco de morte são atendidos prioritariamente no pronto-socorro”, esclareceu o médico.

Ouvidoria e gabinete da Saúde

O prefeito Marcelo Iunes reforçou que a população deve continuar fazendo reclamações sobre qualquer setor que envolva as atividades da Prefeitura, incluindo situações no âmbito da saúde. O contato pode ser feito através da Ouvidoria da Saúde, por meio do telefone 0800 647 2255, ou direto no gabinete do secretário de Saúde, Rogério Leite, pelo 3234-3522. 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE