Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
17 de Junho de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Iphan realiza reunião para registro do Banho de São João e convoca festeiros e comunidade

Lívia Gaertner em 08 de Março de 2018

Festeiros de São João e comunidades ligadas aos festejos juninos em Corumbá e Ladário são o principal público convidado para a I Reunião de Continuidade da Etapa Final da Instrução do Processo de Registro do “Banho de São João de Corumbá e Ladário” como patrimônio imaterial do Brasil.

Além desses principais atores que mantêm viva a tradição e jeito singular de reverenciar São João na região compreendida entre essas duas cidades sul-mato-grossenses, a Superintendência do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) em Mato Grosso do Sul também abre a momento para a comunidade em geral como explicou ao Diário Corumbaense, a superintendente do órgão no Estado, Maria Clara Scardini.

“Só tem sentido um Patrimônio Imaterial quando o mesmo tem profunda identidade com a comunidade que dele se apropria. Esta comunidade – chamados detentores do Bem – é quem define sua importância, suas características principais, sua tradição, sua ligação geracional com os antepassados e seus encaminhamentos futuros. Sem a participação dos mesmos em todo o processo, este perde o sentido. No caso em questão, estamos na reta final do processo, esta participação já veio ocorrendo nos últimos anos, mas deve ser intensificada na elaboração dos produtos finais (Dossiê escrito e produto audiovisual) que serão analisados em Brasília e almejam o possível registro a ser decidido pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural Brasileiro”, frisou.

A reunião está marcada para acontecer no dia 17 de março, sábado, a partir das 08h30, no auditório da Associação Comercial e Empresarial de Corumbá, situada na rua Delamare, 1088, Centro.

Foto: Anderson Gallo/ Arquivo Diário Corumbaense

Modo peculiar de festejar São João em Corumbá e Ladário pode ser reconhecido nacionalmente como patrimônio cultural

Pedido de registro

No final de fevereiro, o Iphan anunciou a contratação da UFMS (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul) para a elaboração do dossiê e material audiovisual para subsidiar o pedido do registro.  Os pesquisadores serão dirigidos pela Fapec (Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura), contando com alunos-bolsistas da UFMS em seus campi da Capital e do Pantanal (Corumbá), a fim de aprofundar as pesquisas, buscando identificar e conhecer as referências culturais existentes no Banho de São João, compreender o significado da festa para quem a celebra e como ela desempenha papel central na formação da identidade cultural local.

“Esses bens caracterizam-se pelas práticas e domínios da vida social apropriados por indivíduos e grupos sociais como importantes elementos de sua identidade. São transmitidos de geração a geração e constantemente recriado pelas comunidades e grupos em função de seu ambiente, sua interação com a natureza e sua história, gerando um sentimento de identidade e continuidade. Contribuem, dessa forma, para promoção do respeito à diversidade cultural e à criatividade humana”, esclareceu Maria Clara Scardini.

A instituição de ensino tem até outubro deste ano para entregar os materiais solicitados que serão enviados à Brasília para análise e parecer técnico do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural Brasileiro. Caso seja aceito, o Bem “Banho de São João de Corumbá e Ladário/MS” será registrado no Livro das Celebrações como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro, tornando-se o primeiro bem exclusivamente registrado em território sul-mato-grossense.

Em 2013, quando do requerimento solicitado ao Iphan em Mato Grosso do Sul pela Prefeitura de Corumbá, via Fundação de Cultura, representando expressivo grupo de detentores do Bem (Banho de São João de Corumbá e Ladário), passou-se ao minucioso processo de instrução de registro que gerou inúmeras reuniões com os festeiros e demais personagens relevantes na realização da festa como os músicos cururueiros, os dançarinos das quadrilhas, artistas e demais representantes, além de um amplo registro fotográfico e fílmico já compilado, com diversas participações in loco nos festejos dos últimos anos.

Desde 2005, Corumbá e Ladário, estendendo o título a Mato Grosso do Sul, possuem o “Modo de Fazer Viola de Cocho” como Bem Cultural Imaterial Brasileiro, entretanto esse título é dividido com o Estado de Mato Grosso onde essa manifestação também ocorre. Atualmente, esse registro está em fase de revalidação pelo próprio Iphan, procedimento de praxe realizado ciclicamente para a manutenção ou não do bem imaterial.

 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE