Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
17 de Junho de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Corumbá pode ter terminal de transbordo para importação de ureia da Bolívia

Da Redação em 22 de Fevereiro de 2018

O prefeito Marcelo Iunes discutiu a instalação de um terminal de transbordo em Corumbá – por uma empresa do ramo de fertilizantes especiais – para a importação da ureia boliviana. O chefe do Executivo Municipal reuniu-se com o diretor da Hinove Agrociência, Renato Benatti, e com o secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e Sustentável, Renato dos Santos Lima, na tarde de quarta-feira, 21 de fevereiro.

Renê Marcio Carneiro/PMC

Para Iunes, a abertura desse terminal permitirá a geração de emprego e renda para o Município

Serão aproximadamente 335 mil toneladas por ano do produto boliviano entrando no Brasil pela fronteira de Corumbá com a Bolívia. Do total importado, 60% devem ir para o Mato Grosso e o restante para o triângulo mineiro e o sul do país.

Para Iunes, a abertura desse terminal permitirá a geração de emprego e renda para o Município. Ele destacou que o produto passa pelo desembaraço aduaneiro no porto seco, que opera em Corumbá, garantindo geração de valor agregado e adicionado para a economia local.

“Temos a possibilidade, num curto espaço de tempo, de registrarmos a entrada de aproximadamente 30 caminhões por dia em Corumbá, com importação de ureia produzida na Bolívia”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico e Sustentável, Renato dos Santos Lima, que acompanhava o empresário. Segundo o secretário, a empresa trabalha com abertura de um terminal de transbordo em Corumbá. “É um espaço para armazenar de 5 mil a 10 mil toneladas de ureia aqui”, explicou.

“Corumbá é um município que faz fronteira com a Bolívia e o desembaraço aduaneiro para escoar para o resto do país acontece aqui. Nas negociações com os bolivianos, estudamos a possibilidade de montarmos um centro de distribuição aqui ou um posto de armazenamento para receber a carga de ureia e vendê-la”, afirmou o diretor da empresa, Renato Benatti.

Segundo produto em volume de importação

Dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) mostram que em Mato Grosso do Sul, a ureia é um produto inédito na balança comercial do Estado. Se a estimativa – de 335 mil toneladas por ano – se confirmar, ela se tornará o segundo produto com maior volume de importação, atrás somente do gás natural (422 mil toneladas). Ainda de acordo com o Ministério, o Brasil reduziu a importação de ureia e subprodutos entre 2014 e 2016, aumentando consideravelmente em 2017.

De acordo com o Ministério de Hidrocarburos da Bolívia, a planta de ureia instalada em Bulo Bulo, exigiu um investimento de US$ 950 milhões e possui uma capacidade de produção de 2.100 toneladas por dia (700 mil toneladas por ano). Espera-se que entre 85% e 90% da produção total sejam exportados para os mercados da região. Com informações da assessoria de comunicação da PMC e do portal do Governo de MS.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE