Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
14 de Agosto de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Blocos oficiais fizeram homenagens e abordaram temas como futebol e meio ambiente

Da Redação em 11 de Fevereiro de 2018

Renê Marcio Carneiro/PMC

Público prestigiou o desfile dos blocos, que começou na noite de sábado e terminou já na madrugada deste domingo

Os blocos oficiais do Carnaval de Corumbá comandaram a folia na avenida General Rondon, a passarela do samba, na noite de sábado para domingo. Cada um dos 11 blocos teve 35 minutos para se apresentar, sob organização da Liga Independente dos Blocos Carnavalescos de Corumbá (Liblocc). O bloco campeão de 2017, o Nação Zumbi, escolheu ser o quinto a desfilar. Os demais seguiram sequência do resultado do ano passado, começando do último lugar até o vice-campeão, que foi o Praia, Bola e Cerveja.

Oliveira Somos Nós abriu o desfile e exaltou a torcida do Corumbaense Futebol Clube. Fundado em 1992, o bloco reuniu mais de 500 integrantes e dividiu a apresentação em quatro cores: uma na diretoria, outra na bateria, e mais duas alas com cores diferentes, além das bandeirinhas.

Contando com 600 componentes, o Afro Samba Reggae levou para a avenida um tema bem atual: a valorização dos professores. “Escolhemos esse tema para podermos chamar a atenção das pessoas para que os professores sejam valorizados e respeitados, principalmente pelos alunos porque eles são os nossos mestres e nos ensina. As crianças de hoje em dia não estão respeitando os professores”, afirmou Iluska de Oliveira, filha da presidente do bloco, Denilse Fátima de Oliveira. O Samba Reggae foi fundado em 1994.

O mais antigo bloco de carnaval de Corumbá, o Flor de Abacate, completou no dia 16 de janeiro, 52 anos de fundação. Em 2018, a diretoria resolveu homenagear Darci Ferri, uma das principais organizadoras dos desfiles da entidade, falecida no ano passado. “Darci fazia a parte mais importante, que era a da confecção dos adereços, dos enfeites dos vestidos, por muitos anos ela trabalhou nisso, participou por mais de 30 anos do bloco”, disse Josélida Maria de Souza Ferri, presidente do Flor de Abacate. Uma das características do bloco é a ausência de camiseta oficial. O sarongue, espécie de saiote com tecido cortado de forma retangular e costurado só de um lado, preso com cadarço, é o que identifica o bloco. 

Os Intocáveis foi o quarto bloco a passar pela avenida e trouxe o Axé como tema. Centenas de integrantes cantaram o samba composto em 2011 por Pedro Jorge, o Pedrão.

Renê Marcio Carneiro/PMC

Atual campeão, Nação Zumbi abordou tema sobre os direitos trabalhistas

A campeã de 2017, a Associação Cultural e Esportiva Bloco Nação Zumbi foi a quinta a desfilar. Com composição de Victor Raphael, levou ao público tema polêmico e atual: Direitos Trabalhistas. O Nação Zumbi existe desde 1995 e se apresentou com cerca de 800 componentes.  

Águia da Vila veio com o tema “Pantanal Ecológico”. A letra do samba-enredo foi escrita por Salvador e o compositor foi Lilico. Cerca de 500 componentes e 30 ritmistas passaram pela avenida. O Águia da Vila existe desde 1998.

Inspirado na conquista do título do Estadual de Futebol de 2017, o bloco Arthur Marinho homenageou o clube com o tema “Corumbaense bicampeão sul-mato-grossense”. “O Arthur Marinho sempre fala sobre temáticas em voga e a diretoria resolveu este ano homenagear uma das paixões da cidade”, afirmou Paulino Souza Benevides Filho, presidente do bloco e compositor do samba-enredo.  O bloco foi fundado em 1º de fevereiro de 2002.

O oitavo a entrar na avenida foi o Bola Preta, que desde 1969 está presente nos carnavais corumbaenses. “Pantanal sul-mato-grossense” foi o enredo com composição de JB. O bloco contou com a participação de pelo menos 700 pessoas.

A preservação ambiental foi o tema abordado pela Associação Cultural e Esportiva Bloco Vitória Régia. “Falamos sobre a preservação do peixe Dourado, a Cota Zero do Dourado, uma lei que saiu e proíbe de pescarmos o Dourado em Corumbá”, disse o presidente do bloco Ademir da Silva Arruda. Fundado em 1994, o bloco contou com cerca de 850 componentes, sendo 92 na bateria. Sandro Nemir foi o responsável pelo samba-enredo.

Renê Marcio Carneiro/PMC

Clube dos Sem homenageou ex-prefeito Ruiter; Rodrigo, filho dele, participou do desfile

“Saudade que não tem fim” foi o tema do desfile da Associação Recreativa Esportiva Carnavalesca Bloco Clube dos Sem. Falecido em novembro de 2017, o ex-prefeito Ruiter Cunha de Oliveira, foi homenageado pelo bloco. “O samba-enredo contou um histórico básico porque ele foi amigo do povo, deixou a marca da felicidade e foi um prefeito presente”, afirmou Carlos Alberto da Silva Oliveira, presidente do bloco. Cerca de mil pessoas desceram para a avenida, embalados por 130 ritmistas, Os compositores do samba foram Victor Raphael, Braguinha, Pedro e Sandro Nemir.

Último a se apresentar e atual vice-campeão, o Praia, Bola e Cerveja homenageou Luiz Mário Cambará “porque ele foi o fundador do bloco e fez o samba-enredo de 1982. Na época, ele compôs duas músicas, mas só uma foi usada e este ano estamos lançando a outra, composta naquele ano por ele”, explicou Marciana Rondon, presidente do bloco.  

O Praia, Bola e Cerveja foi oficialmente criado em 06 de agosto de 1980. Cerca de 650 pessoas participaram do bloco que contou com 100 ritmistas sob o comando do mestre Marcigley Santana. Com informações da assessoria de comunicação da Prefeitura de Corumbá.

Renê Marcio Carneiro/PMC

Arthur Marinho homenageou título estadual do Corumbaense no futebol

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE