Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
13 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Gestão do Patrimônio Cultural é tema de evento que destaca a viola de cocho

Lívia Gaertner em 02 de Dezembro de 2017

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Viola de cocho foi considerada patrimônio cultural imaterial há 12 anos

Em processo de revalidação como patrimônio cultural imaterial de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, a viola de cocho é o tema do seminário “Diálogos Sobre a Gestão do Patrimônio”  que está englobando o “IV Workshop do Modo de Fazer a Viola de Cocho e Dança Siriri  e o Seminário Viola de Cocho: A Construção Começa Pelo Conhecimento”. A atividade é financiada pelo Fundo de Investimento Cultural do Pantanal, recurso este proveniente da Prefeitura de Corumbá, e conta com o apoio do Iphan/MS.

“É um momento importante porque em 2017 estamos completando 12 anos do registro da viola de cocho como patrimônio cultural imaterial, que se encontra em processo de revalidação pelo Iphan, que avalia o que foi feito na região nesse tempo para que esse patrimônio seja mantido”, disse ao Diário Corumbaense a produtora e consultora cultural, Wanessa Pereira Rodrigues, responsável pela organização do workshop que contará com oficina do Modo de Fazer Viola de Cocho, Tocar Viola de Cocho e Dançar Siriri.

“Graças ao recurso do FIC Pantanal, poderemos discutir temas como o plano de manejo. O Iphan está conosco nessa empreitada e está trazendo um grande antropólogo cultural para a cidade. É o momento de a gente se unir para manter Corumbá e Ladário dentro desse processo porque acontecem ações pontuais, mas precisamos criar preferências culturais com apoios e aportes financeiros”, observou.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Wanessa Pereira Rodrigues é responsável pela organização do workshop

O evento ocorrerá entre os dias 04 e 08 de dezembro, no Escritório Técnico do Iphan em Corumbá, e contará com a participação de mestres cururueiros, do professor Ricardo Gomes, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), e da superintendência do Iphan do Mato Grosso.

Os cinco dias de programação trarão mesas redondas, palestras e apresentações. As inscrições estão sendo realizadas pelo telefone (67) 3232-1492 ou pelo e-mail escritorio.corumba@iphan.gov.br. As vagas são limitadas.

Na avaliação da chefe do escritório técnico do Iphan em Corumbá, Edivânia Freitas, é muito importante a participação da comunidade no evento, pois trata-se de um saber cultural regional, de um patrimônio local.

“O diálogo sobre a gestão do Patrimônio Cultural, com a temática Modo de Fazer Viola de Cocho, é muito importante e será a junção de duas grandes atividades. Na ocasião o Iphan/MS vai oferecer o IV Workshop do Modo de Fazer Viola de Cocho e Dança do Siriri, atividade já oferecida anualmente pela Instituição e sediaremos o  Seminário Viola de Cocho: A Construção começa pelo conhecimento, atividade da Produtora Cultural Wanessa Pereira, projeto contemplado pelo FIC Pantanal. Além da programação rica e diversificada, o Iphan/MS traz para o evento o Professor Dr. Ricardo Gomes, Antropólogo do Instituto de Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, assim como a parceria da equipe do Iphan/MT”, esclareceu.

Entre os debates que serão mantidos está a implantação do plano de salvaguarda e observações sobre as ações voltadas ao patrimônio imaterial como adiantou Wanessa a este Diário.

“O que se vê em Corumbá é falar muito em patrimônio cultural onde o material é que fica com todos os recursos. Investe-se no imóvel, em coisas palpáveis, e, infelizmente, o patrimônio imaterial por ser algo intangível, pois trabalha com o simbólico, com o saber, não tem esse reconhecimento. O imaterial envolve grupos, comunidades e aí é que penso que tem que ter uma atenção maior por envolver pessoas”, disse Wanessa ao entrar num dos vieses pelo qual as discussões devem ser levadas durante o evento.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE