Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
19 de Novembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Tempo integral, simulados e aulões ajudam a preparar alunos para o Enem

Ricardo Albertoni em 03 de Novembro de 2017

A escola realizou nos últimos dias 27 e 28 de outubro, aulões para auxiliar os alunos nos últimos dias de preparação

Nos próximos dois domingos, 05 e 12 de novembro, será realizado em todo o País o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017. Em Mato Grosso do Sul, são 41 municípios. As provas serão aplicadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para mais de 92 mil participantes do Estado. Em Corumbá, o número de inscritos é de 5.277 pessoas, enquanto em Ladário são 925.

Geralmente, é neste período, a poucos dias do exame, que os estudantes intensificam os estudos para o dia da prova. Entretanto, alguns estabelecimentos de ensino, desenvolvem atividades muito antes do “grande dia” para  que o aluno supere desafios e não se surpreenda com o que vai encontrar na hora da avaliação.

A Escola Estadual Júlia Gonçalves Passarinho (JGP), única instituição pública de ensino da região que utiliza o modelo ensino integral, chamada de escola da autoria é uma dessas unidades. De acordo com a diretora da instituição, Rosangela Olarte, desde o início do ano, a escola trabalha com essa metodologia atendendo alunos do ensino médio e desenvolvendo atividades que têm o objetivo de preparar o aluno para o Enem, concursos públicos e entrada nas universidades.

Anderson Gallo/Arquivo Diário Corumbaense

A diretora da instituição, Rosangela Olarte e o diretor pedagógico Fernando Silva da Cruz destacaram a metodologia utilizada no JGP

“Aqui no JGP, essa mudança nos auxiliou muito pedagogicamente. Temos essa responsabilidade de acompanhar durante todo o dia o desempenho do aluno. Os professores e diretores são responsáveis pelos seus tutorados, são cerca de 10 alunos para cada profissional fiscalizar, observar, conversar, a fim de promover sua melhora. Dentro desse sistema, o qual é formado por 4 pilares da educação: aprender a conhecer ; aprender a fazer; aprender a conviver e aprender a ser, os alunos entenderam a importância de suas bases, principalmente o de aprender a conhecer, o que os deixou mais interessados em relação aos  estudos, fundamental para a evolução do processo educacional visando as próximas etapas que eles enfrentarão”, disse a diretora.

Dentro dessa metodologia, uma das prioridades do trabalho é a conscientização dos alunos em relação ao projeto profissional. De acordo com o professor Fernando Silva da Cruz, diretor pedagógico do JGP, à medida que o estudante entende a importância da educação, o trabalho surte resultado, principalmente em relação ao exame nacional, que dentro desse método é considerado uma etapa na vida dos estudantes.

“Na escola pública, a maior dificuldade que a gente ainda tem é de que esse aluno, quando sai do ensino médio, dê continuidade aos estudos e entre em uma universidade, desenvolva uma profissão e siga uma carreira profissional. O primeiro desafio que nós tivemos foi de conscientizá-los no sentido de trabalhar o projeto de vida deles. Costumamos perguntar quando somos mais jovens o que queremos ser quando crescer. Então, esse é um trabalho muito forte que temos com eles e saber como se preparar para chegar a esse objetivo. O Enem é uma etapa importante até porque todas as universidade atualmente para que o aluno entre, tem que passar pelo exame. Tem universidade que usa apenas o Enem como processo seletivo, outras usam também uma prova própria, mas o Enem está em todas. Ele pode ser o que ele quiser, mas tem que passar pelo Enem, e bem de preferência”, explicou o professor.

Dentro dessa preparação, os alunos realizam no final de cada bimestre um simulado. As provas realizadas pelos professores de cada disciplina também têm o formato utilizado no Enem e nos concursos públicos, para que o estudante se familiarize com o sistema. A temida redação também é desenvolvida durante todo o ano, inclusive com aulas específicas para trabalhar o assunto com os estudantes.

Outro método importante para a boa realização da prova são os aulões. A escola realizou nos últimos dias 27 e 28 de outubro, aulas para auxiliar os alunos nos últimos dias de preparação. Em 2017 será a primeira vez que as provas não serão realizadas no único fim de semana e sim com uma semana de intervalo. Nesse caso, a instituição programou a terceira e única aula intensiva para o dia 10 de novembro, dois dias antes da última avaliação.

Durante as aulas que se iniciam às 07h20 e finalizam às 16h30, os professores resolvem questões que caíram em provas dos anos anteriores, retomam o conteúdo, tiram dúvidas. Para muitos, é o momento ideal para sanar as últimas dúvidas, principalmente em relação aos assuntos que possuem maior dificuldade.

Confiança na preparação

A estudante de 18 anos Bianca da Silva que está no 3º ano do ensino médio  e pretende  cursar Nutrição ou Gastronomia afirmou que a aula ajudou a trabalhar uma de suas principais dificuldades que é a redação. De acordo com a estudante, além da metodologia recentemente implantada no JGP que faz com que os alunos se sintam mais preparados, as aulas intensivas foram fundamentais para aumentar a confiança dos participantes.

Anderson Gallo

Estudantes João Marcelo e Bianca destacaram a evolução do aprendizado

“O ano foi bem corrido, mas acredito que estamos bem mais preparados que no início. O aulão foi importante também para nos ajudar principalmente em relação à redação que a gente costuma ter um pouco de dificuldade. Além dos professores da escola vieram outros que puderam ajudar, ou seja, se eu não consegui entender com um professor, entendo com outro, isso ajudou bastante”, disse a estudante.

Para João Marcelo Figueira Braga, de 16 anos, que pretende cursar Biologia, exatas era o maior problema. Graças a aulas ministradas por uma professora da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), muitas dúvidas ficaram pra trás.

“A escola está conseguindo fazer com que a gente se prepare bem para o Enem. O aulão foi importante porque deu pra sanar muitas dúvidas. Tudo foi mostrado durante as aulas. Minha maior dificuldade é na área de exatas, veio uma professora do UFMS que tirou muitas dúvidas, mostrou como fazemos a leitura de gráficos, o que deu para ajudar bastante” afirmou o estudante.

Neste primeiro domingo, os estudantes farão provas de ciências humanas, linguagens e redação. No segundo, as provas serão de matemática e ciências da natureza.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE