Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
16 de Janeiro de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Battisti tentou sair do Brasil em táxi boliviano, afirmam PF e PRF

Rosana Nunes em 04 de Outubro de 2017

Divulgação/PRF

Abordagem ao veículo em que estava Cesare Battisti pela PRF na rodovia BR-262

A Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal emitiram nota conjunta sobre a detenção do italiano e ex-ativista de esquerda Cesare Battisti, em Corumbá, nesta quarta-feira (04) por evasão de divisas. Ele foi condenado a prisão perpétua em seu país, pela morte de quatro pessoas entre os anos de 1977 e 1979 e vive refugiado no Brasil desde 2010. Battisti, conforme a nota, foi detido no momento em que tentava sair do Brasil, pela fronteira de Corumbá com a Bolívia. 

Leia a íntegra da nota: 

"A Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal informam que, nesta tarde, 04/10, o estrangeiro CESARE BATISTI foi encaminhado à Delegacia de Polícia Federal em Corumbá/MS, onde está prestando esclarecimentos relativos ao crime de evasão de divisas. 

Na tarde de hoje, policiais rodoviários federais abordaram um veículo particular onde se encontrava o estrangeiro. Durante a abordagem foi identificado que Cesare Batisti, juntamente com 2 outros passageiros, portavam uma quantia significativa em moeda estrangeira.

Por se tratar de região de fronteira, os policiais rodoviários federais comunicaram a Polícia Federal, que realizou o acompanhamento do referido veículo até a divisa entre os dois países. O estrangeiro foi detido no momento em que tentava sair do Brasil em um táxi boliviano. O crime de evasão de divisas se configura quando uma pessoa envia valores para o exterior sem a devida declaração a autoridade competente."

Dólares e Euros

Battisti portava a quantia de US$ 5 mil (cerca de R$ 16 mil)  e 2 mil euros (aproximadamente R$ 7,3 mil). Qualquer pessoa que cruze a fronteira do Brasil com mais de R$ 10 mil em espécie, em moeda nacional ou estrangeira, tem que fazer a declaração à Receita Federal. Autoridades brasileiras acreditam que Cesare Battisti iria tentar se refugiar na Bolívia uma vez que o governo italiano pediu formalmente ao Brasil que anule o refúgio e o devolva para cumprir a pena em seu país de origem. 

O advogado de Corumbá, Maarouf Fahd, é quem está acompanhando o depoimento de Battisti e o trâmite da detenção pela Polícia Federal. 

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Advogado Maarouf Fahd, acompanha Battisti na Polícia Federal

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE