Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
23 de Novembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Bactéria em bolo causou diarreia e vômito em crianças de creche em Corumbá

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 28 de Agosto de 2017

A Secretaria Municipal de Saúde recebeu nesta segunda-feira, 28 de agosto, do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), em Campo Grande, o laudo do material coletado na Creche Municipal Maria Benvinda Rabello, após uma festa particular realizada no dia 11 de agosto, naquela unidade de ensino. O laudo do Lacen apontou presença de Estafilococos no bolo servido na festa. A bactéria foi a responsável pelo surto.

Na oportunidade, 12 crianças passaram mal e com sintomas de vômitos e diarreia, foram encaminhadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Guató e Pronto-Socorro, onde permaneceram em observação e avaliação pediátrica. Três crianças apresentaram quadro de desidratação e foram internadas para aplicação de soro endovenoso. Todas elas foram assistidas por médicos pediatras da Secretaria Municipal de Saúde e por equipes da Secretaria Municipal de Educação.

“O resultado final da análise apontou que o bolo tinha a presença de estafilococos. Foram enviadas 11 amostras entre água, suco e outras refeições, de tudo que foi servido no dia. A análise identificou que a fonte causadora do surto foi o bolo, que trazia a presença de estafilococos”, informou a gerente de Vigilância em Saúde, Viviane Ametlla.

“O estafilococos é uma bactéria que está presente no nosso corpo, na pele, na mucosa nasal. Foi uma quantidade muito grande encontrada no bolo e, por isso, causou o mal-estar nas crianças”, explicou. “Foram feitas análises microbiológicas para identificar salmonelas, coliformes. Foi identificado somente o estafilococos no bolo. Não foram encontrados coliformes, bacilos cereus, salmonela, que são bactérias que podem causar situações como a ocorrida”, complementou.

A gerente de Vigilância em Saúde destacou que uma medida cotidiana da creche ajudou na análise do material coletado. “A creche tem uma rotina muito interessante, que é a de guardar, por três dias, amostras de tudo o que é servido na instituição, como água, suco e alimentos. Isso facilitou para a análise do material. É um cuidado a mais da direção com os alunos”, disse.

Viviane informou que a Vigilância Sanitária vai entrar em contato com a direção da creche para marcar uma reunião com os pais para a apresentação de uma palestra sobre manipulação de alimentos e boas práticas de higiene. “Cabe enfatizar a questão de adotar cuidados básicos de higiene. Ao manipular alimentos lavar bem as mãos, sempre que sair do banheiro lavar as mão. Onde for fazer alimento tem que ser um ambiente limpo”.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE