Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
17 de Agosto de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Pacto por Corumbá inicia discussões para recuperar representatividade política

Lívia Gaertner em 11 de Agosto de 2017

A falta de representatividade política de Corumbá nas esferas estadual e federal está motivando parlamentares municipais e o Executivo a traçarem o chamado “Pacto por Corumbá”. O somatório de forças em prol de formar representantes nas bancadas estadual e federal foi discutido, em caráter inicial, na manhã desta sexta-feira, 11 de agosto, no plenário da Câmara Municipal, onde vereadores e o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira sinalizaram positivamente para a implantação do projeto político para a região.

Atualmente, a cidade pantaneira não tem nenhum representante local na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul e tampouco na Federal. A situação acaba por dificultar o desenvolvimento do município no que tange ao envio de recursos para obras e projetos.

“A História mostra que, muitas vezes, nós falhamos. Não é possível que a gente que está no mandato nesse momento nos permitamos continuar errando. Em 2014, tivemos 35 mil votos em candidatos da terra, mas também tivemos mais de 17 mil votos em candidatos de fora. E isso acontece porque não alertamos a nossa população da necessidade de ter representantes”, lembrou o presidente do Legislativo corumbaense, Evander Vendramini ao falar sobre o último pleito quando 35% dos votos válidos em Corumbá foram endereçados para candidatos de outras cidades, parcela que impediu a eleição de, ao menos, dois deputados estaduais.

Presidente da Câmara de Corumbá, Evander Vendramini, destacou que a cidade não pode cometer erros do passado ao ficar sem representantes em demais esferas

“Quando vai chegando o momento das eleições, os partidos começam a fazer conchavos e soltar candidatos sem condições nenhuma. Na última eleição, tivemos 12 candidatos de Corumbá que obtiveram desde 60 até 4 mil votos e dificultaram a eleição”, relatou. Vendramini que, desde que assumiu a presidência da Câmara, vem defendendo a postura de união política em prol da representatividade de Corumbá em todas as esferas, destacou que o coletivo deve se sobressair ao pessoal.

“Temos que discutir talvez com pesquisas para mostrar quem realmente tem condições de disputar e pedir para quem não tem não atrapalhar nossa representação. Às vezes, é um sonho pessoal que pode ser adiado, pois acima do interesse pessoal está nossa cidade, nossa região. A nossa história prova que, quando tivemos representantes, o desenvolvimento foi muito maior por causa dos recursos que eram encaminhados para nossa cidade”, avaliou.

Sem oposição, sem situação

O vereador Domingos Albaneze frisou que é passada a hora do discurso. O que a cidade precisa é de ações que demonstrem esse propósito comum e para isso concorda com o presidente da Casa de Leis que coloca a vaidade fora deste projeto político.

“Corumbá e uma cidade extremamente receptiva e não vamos ficar brigando com candidatos de fora. O importante, primeiramente, é nos despir das vaidades pessoais. É importante mais que o discurso, mas ações porque, na hora da decisão, muitas vezes, não se pensa na cidade. Corumbá vive o momento de falta de liderança, de representatividade. Temos que cuidar de ter candidatos da terra, poucos e bons”, disse.

Plenário da Câmara recebeu imprensa para apresentação de projeto político

Já o vereador Manoel Rodrigues, afirmou que siglas partidárias também são elementos que precisam ser suplantados dentro da proposta política que começa a se desenhar com o Pacto por Corumbá. “O mais importante é entender o seguinte: não tem oposição, não tem situação, tem candidato a favor de Corumbá. É nisso que temos que trabalhar. Quem tem viabilidade, maior número de votos na cidade, no Estado, trabalhar com esses nomes para não cometermos o mesmo erro de 2014. Estamos construindo um trabalho que se pactua hoje, mas precisa ser firmado ano que vem tudo o que estamos falando aqui, agora”, declarou.

Prefeito defende construção de uma agenda para fortalecer projeto político

O prefeito Ruiter Cunha, que foi um dos candidatos que em 2014 não ocuparam cadeira da Assembleia Estadual devido ao rateio de votos em vários candidatos na região, analisou que a discussão iniciada pela Câmara de Corumbá é fundamental, porém é o primeiro passo em busca de um projeto que legitimamente atenda aos interesses da população.

“Penso que essa iniciativa precisa ter um planejamento para que, nas próximas (reuniões), a gente agregue mais atores importantes a esse processo: empresários, industriários, segmento de trabalhadores, de bairros, enfim, precisamos dialogar com essas pessoas para que elas entendam também que se Corumbá tiver representatividade será muito mais fácil fazer a cidade avançar”, falou ao citar a necessidade da construção de uma agenda entre vários segmentos.

Fotos: Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Prefeito Ruiter Cunha defende a construção de uma agenda de discussões para garantir um projeto legitamamente democrático

Ele ainda frisou que o Pacto por Corumbá se faz mais importante diante das discussões sobre a reforma política que vêm permeando o cenário nacional. Dentro de algumas dessas propostas já debatidas, a estratégia de diminuir o número de candidatos locais para a eleição torna-se ainda mais necessária.

“Se o 'distritão' passar, muito provavelmente os grandes centros onde tem a maior densidade eleitoral vão diminuir também o número de candidatos e os de lá terão muito mais votos que os nossos aqui do interior e aí se faz a necessidade maior ainda de reduzir o número de candidatos aqui. Fazer, de fato, a escolha de um nome, de alguém que possa liderar esse projeto”, disse ao afirmar que deixa “o Executivo aberto” a fim de construir espaços de debates entre a classe política e a população.

 

Ações e Compartilhamento
Comentários:

Helmut Martines da Silva: Meu nome é Helmut, sou professor da Rede Municipal e concordo plenamente com a iniciativa do Sr Prefeito e da Câmara de Corumbá. Nossa querida cidade precisa de representantes na Esfera Estadual e Federal. Penso que podemos eleger 2 Deputados Estaduais, e até um Deputado Federal... Pois sabemos que temos bons candidatos,que estão comprometidos com o desenvolvimento e ascensão de nossa cidade.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE