Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
24 de Agosto de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Para pacientes, programa reduziu e muito tempo de espera

Camila Cavalcante em 22 de Julho de 2017

Acesso imediato ao clínico geral e pediatra, aferição de pressão arterial e glicemia capilar, orientações sobre prevenção de doenças, de gravidez na adolescência e sobre planejamento familiar, distribuição de preservativos, vacinação e entrega de remédios básicos, pesagem de beneficiários do Bolsa Família, palestra educativas, triagem e agendamento de consulta para início do tratamento dos pacientes que estão na lista de espera de tratamento de canal ou que já possuem encaminhamentos e orientações sobre higiene bucal. Essas foram as ações ofertadas à população da parte alta de Corumbá, neste sábado (22) na Praça CEU, no bairro Jardim dos Estados, no terceiro sábado consecutivo do programa “Saúde em Dia” executado pela Prefeitura Municipal por meio da Secretaria de Saúde do município.

Fotos: Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Liliane levou o filho Iago de 02 meses para consulta com pediatra

Liliane Pedreira, 33 anos, estava na fila para consulta com pediatra. Seu bebê de dois meses, Iago, nasceu com bolinhas na boca, o que deixou a mãe preocupada. Ela procurou uma Unidade de Saúde próximo à sua residência, porém, havia somente clínico geral. Tentou marcar consulta com um pediatra, mas foi informada que deveria esperar ao menos dois meses.

“O Iago nasceu com bolinhas na boca, elas parecem espinhas e de imediato, nas primeiras consultas na Unidade de Saúde, o médico me disse que elas sumiriam e que era normal. mas já se passaram dois meses e nada. Não atrapalha ele mamar, mas eu fiquei preocupada. Quando fui avisada desta ação, trouxe logo o Iago para a consulta e graças a Deus fui tranquilizada, o pediatra que me atendeu, o doutor Éder, disse que realmente as bolinhas irão desaparecer com o tempo”, disse mais tranquila.

Moradora do Tamarineiro, dona Arlete aguardava desde março por uma consulta

Arlete Lopes Barros, 67 anos, estava com exame feito em março para apresentar ao médico. Ela mora no Assentamento Tamarineiro I e não conseguia agendar a consulta pois a demanda no posto que procurou era muito grande.

“Sou diabética e em outubro do ano passado senti uma dor forte no peito. Consegui consultar com médico em novembro. Fiz o exame em março deste ano e desde então estou tentando marcar uma consulta para mostrar meu exame do coração. Eu estava bem nervosa, pois as dores continuam e o exame estava ficando ‘velho’. Fui avisada desta ação, então vim bem cedo para a cidade e fui atendida. Agora vou marcar aqui mesmo uma consulta para cardiologista. Estou mais aliviada, apesar de que meus exames apontaram alteração, mas espero não passar mais por este sufoco”, afirmou ao Diário Corumbaense.

Professora aposentada Marlene, depois de alguns meses conseguiu marcar consulta com cardiologista

As filas para consultas e agendamento de exames eram longas. Porém, as pessoas não ficavam mais de 40 minutos esperando. De dois a três profissionais atendiam em cada área. A professora aposentada Marlene Creuza Prado Borges da Silva, 58 anos, também conseguiu antecipar sua consulta ao cardiologista e seu exame de ultrassom. “Há mais de 12 anos sofri um derrame e fiquei com sequelas. Tive que me afastar das salas de aula e passei a precisar de constantes idas ao médico, exames para fazer,  já enfrentei muita espera ao longo desses anos. Agora, consegui antecipar  consulta ao cardiologista, que seria só em 2018,  para agosto. Também consultei hoje com clínico geral e agendei meu exame de ultrassom para agosto também. Para nós que temos saúde debilitada e já temos idade,  esperar é algo perigoso, pode ser fatal”, disse preocupada.

A ação Saúde em Dia vai prosseguir até o dia 31 de agosto para reduzir a demanda reprimida de exames e consultas médicas especializadas, num total de 1.600 atendimentos em dois meses. O programa é executado em três etapas: a primeira correspondeu à remarcação e agendamento antecipando as demandas dos pacientes já agendados com tempo de espera médio de até cinco meses. A segunda etapa, a execução das demandas em horários diferenciados aos agendamentos de rotina dos serviços especializados e a terceira fase conta com atendimentos dos médicos para avaliação do resultado dos exames e encaminhamento para novo fluxo de atendimento, de acordo com a necessidade do paciente.

Galeria: Saúde em Dia - Praça CEU

Abrir Super Galeria
Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE