Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
12 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Fundação reconhece 86 festeiros de São João como agentes municipais de cultura

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 21 de Junho de 2017

Clóvis Neto/PMC

Entrega de certificados aconteceu na sede da Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico

Festeiros inscritos na Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico de Corumbá receberam certificados na tarde de terça-feira, 20 de junho, sendo reconhecidos como Agentes Municipais de Cultura. A entrega foi feita na sede da Fundação. A participação desses festeiros no Arraial do Banho de São João corresponde ao ápice da festa, o Banho de São João, realizado no dia 23 de junho. Os festeiros confeccionam andores do santo e descem com ele no trecho do início da Ladeira Cunha e Cruz em direção à “prainha” do Porto Geral, realizando a “lavagem” do andor.

“Esse certificado é importante porque o festeiro se torna um agente cultural e está apto a se inscrever em outros projetos culturais da cidade”, disse Luiz Mário do Nascimento Cambará, diretor-presidente da Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico de Corumbá. Este ano, receberam o certificado 86 festeiros, no entanto, no dia do festejo, equipe da Fundação da Cultura também entrega o certificado àqueles não cadastrados, mas que todos os anos descem com o andor. “Com certeza, ultrapassa o número de cem andores descendo a ladeira no dia, começam a descer à tarde, esses geralmente são os que não são cadastrados, mas participam também da festa”, afirmou.

O certificado é o reconhecimento do Município para aqueles que têm compromisso com o Banho de São João. “É você assegurar que eles mantenham a tradição de família, de geração em geração, e que não deixem isso acabar. É uma maneira de a Prefeitura incentivá-los. Esse ritual de Banho de São João, da descida dos andores, só existe em Corumbá, tanto é que está em processo de reconhecimento como bem imaterial nacional pelo IPHAN”, disse Luiz Mário.

Banho de São João é o ápice da festa junina pantaneira

O Banho de São João, com a descida dos andores, é o ápice da festa, é o ato mais importante de todo o Arraial do Banho de São João. Acontece sempre no dia 23 de junho. Conta a lenda que na virada de 23 para 24 de junho, que é o Dia de São João, as águas do rio Paraguai se tornam milagrosas. No momento, estouram-se fogos de artifício e vários festeiros e fiéis se banham às margens do rio.

Dona Reginalda Mendes Vera é uma das festeiras mais antigas da cidade. A tradição tem passado de geração em geração na sua família e tudo começou com sua mãe, a Nhá Concha. Até hoje, na casa de Reginalda é organizado o “Arraial da Nhá Concha”. No dia 23, haverá uma missa na casa dela e o andor deve sair do bairro Universitário até as águas do rio Paraguai por volta das 23 horas. Segundo ela, sua sobrinha faz o “Futuro da Nhá Concha” com as crianças, com o intuito de perpetuar a tradição. Mais de cem pessoas descem com o andor de São João do arraial de dona Reginalda.

“Eu acho muito bom esse reconhecimento da Prefeitura com os certificados, agradecemos muito ao nosso prefeito pelo que tem feito por nós. Para mim, São João não é só cultura, ele é milagroso, eu tenho muita fé nele. À meia-noite, quando estamos dando banho no São João, para quem acredita, aquela hora que você põe o santo dentro da água, a água do rio se torna milagrosa, qualquer doente pode tocar naquela água, é um milagre de São João Batista”, afirmou a festeira.

Dona Lúcia Fátima de Siqueira também foi certificada como Agente Municipal de Cultura. “A minha mãe era festeira e desde o ano retrasado fiquei no lugar dela. Ela desceu com o andor por mais de cinquenta anos. É um prazer receber esse certificado, eu coloco todos eles pendurados em um quadro, ainda mais com o nome da minha mãe embaixo do meu, eu fico muito emocionada. Somos muito devotos de São João, Santo Antônio e São Pedro. Meu pai fazia até fogueira no Popular Velha. A gente desce com o andor e faz cozido para as pessoas que participam”, disse Lúcia.

Anderson Gallo/Arquivo Diário Corumbaense

Ápice da festa é na noite do dia 23 para 24, quando imagem de santo é banhada no rio Paraguai

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE