Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
26 de Abril de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Campanha nacional de vacinação contra a Influenza começa na segunda-feira

Rosana Nunes em 15 de Abril de 2017

Anderson Gallo/Arquivo Diário Corumbaense

Na primeira etapa, vão ser imunizadas crianças de 6 meses a menores de 2 anos de idade e os profissionais de saúde

A 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza começa na segunda-feira, 17 de abril. Em Corumbá, os trabalhos são coordenados pela Secretaria Municipal de Saúde e a meta é imunizar 28.329 pessoas que integram os grupos prioritários. Neste ano, a campanha é dividida em 4 etapas. Na primeira, que começa no dia 17, receberão a dose as crianças de 6 meses a menores de 2 anos de idade (1 ano 11 meses e 29 dias) e os profissionais de saúde.

A partir do dia 24 de abril serão imunizadas as gestantes, puérperas e crianças de 2 anos a menores de 5 anos ( 4 anos 11 meses e 29 dias). Já a partir do dia 02 de maio, receberão a vacina os idosos, pessoas com comorbidades, indígenas, privados de liberdade, funcionários do sistema prisional e professores.

O Dia D da Campanha Nacional será em 13 de maio, quando 12 Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Corumbá funcionarão das 08h às 16h30 para atender todas as pessoas que integram os grupos prioritários.

As UBS Beira Rio, Kadwéus, Nova Corumbá, Breno de Medeiros, Popular Velha, Padre Ernesto Sassida, Luiz Fragelli, Humberto Pereira, Aeroporto II, Pedro Paulo II, Gastão de Oliveira e Fernando Moutinho ficarão abertas ao público durante o Dia D, informou a assessoria de comunicação da PMC.

Grupo prioritário

Além dos profissionais de educação, fazem parte do público-alvo pessoas com 60 anos ou mais, crianças na faixa etária de seis meses a quatro anos, 11 meses e 29 dias de idade, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, trabalhadores de saúde, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas, população privada de liberdade e profissionais do sistema prisional.

A estimativa da Secretaria Municipal de Saúde é vacinar 2.538 profissionais de saúde; 3.048 crianças de 6 meses a 2 anos; 5.282 crianças de 2 a 4 anos; 1.524 gestantes; 251 puérperas; 160 indígenas; 9.729 idosos; 4.819 idosos com comorbidades; 766 privados de liberdade e 212 funcionários do sistema prisional.

Neste ano, a vacinação contra a influenza tem como novidade a inclusão dos profissionais da Educação da rede de ensino básico (Regular, Especial e Educação de Jovens e Adultos – EJA) e superior das escolas públicas e privadas. 

"Como esses profissionais não têm a carteirinha de vacina, enviamos para as escolas um modelo de bilhete que deve ser assinado pelo diretor da instituição de ensino com o nome do professor e ele vai entregar o documento ao vacinador. Isso é para facilitar o atendimento", explicou ao Diário Corumbaense a coordenadora de Imunização da Secretaria de Saúde de Corumbá, Juciane Teixeira de Souza Silva.

Ela alertou que a vacina é uma forma de prevenção, mas os cuidados com a higiene são essenciais também. As principais dicas são: lavar sempre as mãos, principalmente após tossir e espirrar,utilizando água e sabão ou, ainda, álcool 70%; utilizar lenços descartáveis; deixar o ambiente sempre ventilado; cobrir boca e nariz sempre que espirrar ou tossir; não tocar na região dos olhos, nariz e boca sem que a mão esteja limpa; não compartilhar objetos de uso pessoal, como garrafas, copos e talheres; evitar contato com pessoa doente, evitando abraços, beijos e apertos de mão e evitar locais aglomerados. 

Proteção da vacina ocorre após duas semanas da aplicação

A vacina contra a gripe não tem efeito imediato, a proteção começa a existir aproximadamente após duas semanas (15 dias) da administração, prolongando-se por cerca de um ano. Os efeitos colaterais mais comuns são: dor local, febre baixa e mal-estar nas primeiras 48 horas após a aplicação. A atualização das vacinas contra gripe faz parte das recomendações feitas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para garantir a eficácia do produto.

Todo o ano, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprova uma nova composição da vacina Influenza que considera novos vírus circulantes no País e no mundo. Este ano, a vacina traz uma nova cepa do vírus Influenza A/H1N1. Isso porque foi constatado que o vírus sofreu alterações genéticas no último ano. De acordo com a resolução da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a vacina de Influenza trivalente de 2017 deve conter os seguintes vírus:

- Influenza A (H1N1), subtipo Michigan/45/2015

- Influenza A (H3N2), subtipo Hong Kong/4801/2014

- Influenza B, subtipo Brisbane/60/2008

Já a vacina de Influenza tetravalente deve conter, além dessas três cepas, o vírus Influenza B, subtipo Phuket/3073/2013.

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE