Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
17 de Outubro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Segurança no carnaval 2017 atingiu resultados expressivos em Corumbá

Da Redação em 10 de Março de 2017

Renê Márcio Carneiro

Policiamento contou até com a cavalaria da PM

Prioridade no Carnaval em Corumbá, o policiamento ganhou reforços e a parceria garantiu uma festa segura este ano. “Essa integração entre as Forças de Segurança foi fundamental. Atuando em conjunto, policiais e guardas municipais potencializaram seu poder de repressão ao crime e a sociedade percebeu a mudança”, disse o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira. 

Com um aumento de apenas 14% no total de pessoas que trabalharam na segurança do Carnaval, em relação ao mesmo período no ano anterior, é possível observar um aumento nos resultados. Somente no número de pessoas abordadas por policiais, houve um salto de 198%. “Passamos de 264 policiais militares, guardas municipais e segurança privada em 2016 para 306 em 2017”, afirmou o coordenador da Agência Municipal de Segurança Pública, Jorge José Pinto de Castro.

De acordo com o balanço da Operação Carnaval, o planejamento de segurança começou a ser executado um mês antes. Foram abordados carros e motocicletas, houve a presença inédita da cavalaria e foram cumpridos mandados de prisão antes do evento. “Para a segurança, o Carnaval começou em janeiro, com treinamento da Guarda Municipal, com a vinda antecipada de policiais de inteligência e tática”, informou Jorge de Castro.

Para o comandante do 6º Batalhão da Polícia Militar de Corumbá, tenente-coronel César Freitas Duarte, este foi o carnaval mais seguro dos últimos anos. Em 2016, em todos os dias de festa, cerca de 60 pessoas foram presas. Em 2017, até segunda-feira, 27 de fevereiro, o número de detenções havia caído pela metade. “Houve menos brigas e não houve nenhum crime grave”, confirmou.

Somente nos dias de Carnaval, foram apreendidas 35 armas brancas, entre elas, facas e canivetes, 83% a mais do que em 2016. Tais apreensões refletiram na Saúde. “Nao tivemos homicídios, nem atendimentos graves de politrauma, por agressão física com arma branca ou de fogo, por exemplo", citou o secretário de Saúde de Corumbá, Rogério Leite.

Mesmo com o aumento esperado da população flutuante, as unidades de saúde tiveram um atendimento dentro da normalidade. "Nos preparamos para atender esse aumento sazonal, mas o que nos surpreendeu foi que a demanda permaneceu normal, dentro daquilo que estamos acostumados no cotidiano", pontuou o secretário.

O Carnaval 2017 foi um piloto para os eventos nos anos seguintes. "Vamos equipar a Guarda Municipal, reforçar o monitoramento por vídeo e estabelecer mais parcerias com a Polícia", concluiu o coordenador de segurança. E, como não há setores isolados, os benefícios com a segurança também refletiram na economia de recursos públicos. “Ao evitar roubos e furtos, o serviço técnico do judiciário foi poupado”, explicou o comandante Freitas. Opinião compartilhada pelo secretário de Saúde. "Para se ter uma ideia, não tivemos gastos com CTI durante os dias de festa".

O forte esquema foi montado conjuntamente entre a Prefeitura, por meio da Agência Municipal de Segurança, a Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Estadual, DOF (Departamento de Operações de Fronteira), Polícia Ambiental, além da segurança privada. A cidade recebeu reforço policial de Campo Grande (policiamento montado), Jardim e Aquidauana. Com informações da assessoria de comunicação da PMC. 

 

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE