Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
24 de Maio de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Queimadas avançam no Pantanal; são quase 60 focos em oito dias

Marcelo Fernandes em 10 de Janeiro de 2017

Em apenas oito dias Corumbá já registrou a maior incidência de queimadas dos últimos cinco anos. De 1º a 08 de janeiro a maior cidade do Pantanal sul-mato-grossense contabilizou 58 focos de incêndios florestais. O maior volume para esse período do ano – entre 2013 e 2017 – foi de 15 focos exatamente em 2013. No ano passado, nessa mesma faixa temporal, o município tinha contabilizado 7 focos. Em 2015 e 2014 foram 5 registros.

Fotos: Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Grande foco de queimada atingiu a vegetação pantaneira ao norte de Corumbá; chamas ficaram visíveis na noite de ontem

As estatísticas do monitoramento feito pela Divisão de Satélites e Sistemas Ambientais do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), vinculada ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), mostram que nesse naqueles oito dias Corumbá também liderou o ranking nacional de queimadas.

Logo atrás – mas com pelo menos quatro vezes menos focos – aparecem as cidades mato grossenses de Feliz Natal e Nova Ubiratã com 14 registros cada uma delas. Óbidos (PA) e Rio Brilhante (MS) figuram na sequência do ranking com 10 focos cada. Os quase 60 registros em Corumbá representam mais da metade dos 97 focos de incêndios florestais contabilizados este ano em Mato Grosso do Sul.

Fumaça encobriu grande parte da cidade

Nas últimas 48 horas, os satélites do INPE registraram 33 focos de incêndios florestais em Corumbá. Na tarde de ontem, 09 de janeiro, um grande foco de queimada atingiu a vegetação pantaneira ao norte da cidade. Da avenida General Rondon era possível ver a forte cortina de fumaça causada pelo fogo durante o dia. À noite, as chamas eram visíveis.

Por conta dessa situação, o Comando do 3º Grupamento de Bombeiros (3º GBM) destacou uma equipe para seguir até a região para avaliar e definir medidas de combate e contenção das chamas.

Grandes extensões de queimadas não são comuns em janeiro, porém com o rio baixo, áreas que ficavam alagadas estão secas e podem estar produzindo material combustível suficiente para ocasionar esses grandes focos de incêndios florestais.

Nas últimas 48 horas, os satélites do INPE registraram 33 focos de incêndios florestais em Corumbá

Corumbá está sem brigada de combate a incêndios florestais do Ibama. O trabalho dessa equipe especializada acontece a partir do segundo semestre do ano, geralmente entre os meses de julho e dezembro.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE