Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
19 de Junho de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Prefeitura inicia licitação e Governo do Estado vai apoiar obras na Catedral de Corumbá

Rosana Nunes em 03 de Agosto de 2016

Chico Ribeiro/Governo do Estado

Encontro com Reinaldo aconteceu na Governadoria, em Campo Grande

As obras de revitalização e reforma da Catedral de Corumbá, contempladas pelo PAC das Cidades Histórias e que aguardam recursos do Governo Federal, vão receber apoio do Governo do Estado, que vai viabilizar a reforma das instalações elétricas. A confirmação é do governador Reinaldo Azambuja, que recebeu nesta quarta-feira (03) o Bispo Diocesano, Dom Segismundo Martinez e o pároco da Catedral Nossa Senhora da Candelária, padre Fábio Vieira, em Campo Grande.

Segundo a Diocese de Corumbá, a igreja é de 1885. A última reforma no prédio foi em 1960 e nessa reparação não houve a troca da fiação elétrica, que é revestida de panos. Em junho passado, a Catedral foi interditada por causa do risco de desabamento do teto. A Prefeitura de Corumbá vai liberar recursos para reformar o telhado do templo. "A Prefeitura já autorizou o início do processo licitatório e, em seguida, o Município começa a obra de restauração completa da cobertura ainda em agosto", informou ao Diário Corumbaense a secretária de Assistência Social de Corumbá, Mabel Sahib Aguilar.

Com a garantia do Governo do Estado de reparar a fiação elétrica, as atividades religiosas devem voltar à normalidade em breve. “O teto e a parte elétrica são as partes principais que precisam de conserto”, afirmou o padre Fábio Vieira que ressaltou ainda a importância da Catedral de Corumbá para Mato Grosso do Sul. “É um patrimônio histórico e cultural do Estado, foi a primeira sede da igreja do Sul do antigo Mato Grosso”, reforçou.

Divulgação

Ainda em junho, Diocese e Prefeitura firmaram termo de cooperação

Os reparos que serão feitos pelo Governo do Estado e pela Prefeitura de Corumbá seguirão o projeto aprovado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional) e pela Fuphan (Fundação de Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico). O projeto está orçado em cerca de R$ 2 milhões. Estado e Município também vão buscar, em Brasília, a liberação de recursos para a execução completa da obra de revitalização. Com informações do site Notícias MS.

 

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE