Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
17 de Agosto de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Comissão especial da Catedral já capta recursos para reforma da Matriz

Da Redação em 12 de Julho de 2016

A comissão especial da comunidade da paróquia Nossa Senhora da Candelária, encarregada da reforma da igreja Matriz, que leva o nome da santa padroeira de Corumbá, já começou a arrecadar recursos para as obras. Uma conta no banco Bradesco recebe as doações em dinheiro, que podem ser feitas por toda a sociedade. A reforma visa, inicialmente, recuperar parte do forro da estrutura de gesso do teto da Matriz, que [no dia 31 de maio] se desprendeu e caiu sobre alguns bancos, próximo de onde os fiéis assistem às missas. Por conta disso, após vistoria, a Defesa Civil interditou parcialmente o prédio e as missas são realizadas no salão paroquial.

“Devemos ter em conta que a Catedral é um patrimônio público, foi a primeira igreja de todo o Mato Grosso do Sul e, consequentemente, a primeira de Corumbá. Não é patrimônio somente da igreja católica, mas da cidade de Corumbá. Para recuperá-la há esse compromisso, já que o PAC não foi possível levar adiante em função das circunstâncias em que o país se encontra. Como cidadãos corumbaenses, não podemos permitir que esse patrimônio histórico se perca”, afirmou ao Diário Corumbaense o bispo diocesano de Corumbá, Dom Segismundo Martinez Álvarez.

Fotos: Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Defesa Civil interditou parcialmente o prédio e as missas são realizadas no salão paroquial

Dom Martinez explicou que pode ser doado qualquer valor e destacou que o Executivo Municipal vai executar obras de contenção na estrutura do telhado e do forro da igreja. "A parte do telhado a Prefeitura se responsabilizou, mas tem uma parte que a Diocese vai assumir. Há uma comissão que foi constituída na comunidade de Nossa Senhora da Candelária que está se organizando para arrecadar recursos. Um dos meios para isso é através dessa conta aberta, onde todo mundo poderá colaborar anonimamente. Não há necessidade de se manifestar, quem fez ou não. Não há limite nem para menos nem para mais, doe o que pode ser doado, o que vier do coração de cada um de verdade. É uma colaboração cidadã para recuperar nosso patrimônio”, completou o líder da Igreja Católica em Corumbá esclarecendo que a conta bancária foi aberta com a finalidade única de receber doações para a recuperação.

Segundo o bispo diocesano, não há um período específico para as doações. “Não temos limite de tempo, sabemos que a recuperação desse patrimônio não vai acontecer de um dia para outro. Também faremos outras promoções”, disse.

As missas na Matriz de Nossa Senhora da Candelária seguem acontecendo no salão paroquial. “A Catedral está interditada até recuperar o telhado e consequentemente o forro de gesso. Depois dessa primeira recuperação vai ser analisada a situação para saber se vale a pena iniciar aos orações no recinto da Catedral ou se continuarão no salão anexo que está reformado e em ótimas condições”, concluiu Dom Martinez.

Para os interessados em colaborar a conta para arrecadar recurso para a reforma da Igreja de Nossa Senhora da Candelária é no Bradesco, agência 0188, conta corrente 62578-7.

Diocese recebeu da Prefeitura projeto encaminhado ao PAC Cidades Históricas

Quando a Prefeitura firmou um termo de cooperação com a Diocese – no dia 15 de junho – para realizar obras de contenção na estrutura do telhado e do forro, o Executivo Municipal entregou cópias dos projetos arquitetônico e complementares do prédio, cuja obra foi contemplada pelo PAC das Cidades Históricas.

Bispo diocesano destacou que toda doação é aceita não há imposições de valores

O termo de cooperação foi firmado entre as duas partes após o Iphan ter autorizado a busca de alternativas de se viabilizar a execução da obra, enquanto se espera a liberação de verba federal. Os projetos cedidos pela Fundação de Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico à Diocese de Corumbá são os seguintes: projeto arquitetônico, incluindo restauração dos monumentos, planilha quantitativa-orçamentária com cotações, memória de cálculo e composições; bem como projetos complementares (projeto de estrutura metálica, estrutura e fundações; projeto de segurança contra incêndio e pânico; projeto de instalações elétricas e luminotécnicas; projeto de instalação de água fria e esgoto).

A Diocese deverá contratar empresas cuja qualificação técnica para os serviços previstos seja comprovada pela Fuphan, por meio de comprovação de Responsabilidade Técnica (CRT) na modalidade executada, sendo obrigatória a nomeação pela Diocese de arquiteto e de responsável técnico pela execução da mesma. 

Ações e Compartilhamento
Comentários:

Carlos Augusto de Lima Maia : Sou vitralista (vitrais). Creio que o único de MS. Contatos 67 991410087 também whats. rsj

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE