Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
19 de Junho de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Com problemas no teto, missas na Catedral são transferidas para salão paroquial

Ricardo Albertoni em 03 de Junho de 2016

Na última terça-feira (31), parte da estrutura de gesso do teto da igreja centenária Matriz de Nossa Senhora da Candelária se desprendeu e caiu sobre alguns bancos de onde fiéis assistem  missas. O incidente aconteceu durante a manhã, horário em que não são realizadas atividades religiosas e despertou preocupação por parte da comunidade. “Não é que seja grave o desprendimento, mas caso a igreja estivesse ocupada poderia ter ocorrido momento de tensão. Mas, graças a Deus, não tinha ninguém naquele momento”, explicou ao Diário Corumbaense o bispo diocesano de Corumbá, Dom Segismundo Martinez Álvarez.

Fotos: Ricardo Albertoni/ Diário Corumbaense

Parte da estrutura de gesso do teto da igreja Matriz se desprendeu

A Defesa Civil foi acionada, realizou uma primeira visita na tarde de quarta-feira (1º) e vai emitir um parecer nos próximos dias. A recomendação é para que se evite aglomeração no interior do prédio, já que existem infiltrações em outros pontos do teto, além de risco de queda de mais pedaços do forro decorativo. “Nós chamamos a Defesa Civil e eles estão analisando a situação para que tenhamos uma posição sobre as providências a serem tomadas”, afirmou o bispo.

O coordenador Municipal de Defesa Civil, tenente Isaque do Nascimento, recomendou, por precaução, a interdição do local até uma análise aprofundada da situação. “Fizemos a primeira vistoria para conhecimento de área e foi estabelecido que seja encaminhado ao Executivo um documento solicitando formalmente a atuação da Defesa Civil.  Recebendo isso, vamos realizar uma auditoria minuciosa, junto com o corpo técnico de engenheiros da Prefeitura, para apontar qual caminho será tomado, se será necessário um reparo emergencial, interdição parcial ou total”, explicou.

O prédio da igreja, que recebeu a última reforma completa na década de 1960, é um dos dez projetos contemplados pelo PAC das Cidades Históricas do Governo Federal, conforme anunciado em janeiro de 2014. Ao todo, estavam previstos R$ 19,6 milhões para restauração e requalificação de prédios e equipamentos históricos, localizados na área tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional, e de entorno.

Porém, a incerteza sobre a liberação dos recursos, devido a instabilidade do cenário político e econômico, além da urgência em iniciar a recuperação, levaram a Diocese de Corumbá a solicitar à Prefeitura autorização para dar início à obra, gradualmente, com a captação de recursos por intermédio de campanhas na cidade.  “Nós sabemos que estamos em um momento difícil de conseguir esses recursos públicos. Entramos com um pedido na Prefeitura para autorizar a Diocese a executar o projeto de reforma da Catedral, que foi elaborado pela própria Prefeitura de comum acordo com a Diocese. Estamos esperando um documento oficial que nos autorize a iniciar essa obra”, disse Dom Martinez.

Vários pontos do teto da igreja têm infiltrações e apresentam risco de queda

De acordo com o padre Fábio Vieira, pároco da Catedral de Nossa Senhora da Candelária, por tempo indeterminado, as missas e atividades religiosas acontecerão no salão ao lado da igreja, reformado nos últimos anos. O salão tem capacidade para 130 pessoas sentadas, já o templo comporta de 350 a 400 fiéis.

Interdição em 2011

Esta não é a primeira vez que o problema ocorre. Em outubro de 2011, a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária foi interditada após grande parte do telhado e do forro do interior do templo ter sido destruído por um temporal. Na ocasião, foi realizada uma reforma emergencial com recursos arrecadados com o auxílio da comunidade.

 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE