Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
26 de Abril de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Marlene Mourão vai viajar pelo Brasil levando sua arte em projeto do Sesc que evidencia a Literatura

Lívia Gaertner em 10 de Abril de 2018

Reconhecida pelos seus traços em incríveis trabalhos na técnica “bico de pena” e também nas telas que retratam em aquarela a identidade de paisagens e festejos de Corumbá, Marlene Mourão é dessas artistas cujo talento não se aprisiona em uma única forma de expressão. Conhecida em todo território sul-mato-grossense por sua produção nas artes plásticas, a coxinense de 73 anos de idade e que há 47 adotou Corumbá como seu lar, também se envereda pela Literatura, onde os poemas integram a sutil força de uma escritora que encantou até mesmo o maior ícone do gênero no Estado, o saudoso poeta Manoel de Barros, com seu livro “Azul dentro do banheiro”.

Colaboradora do Diário Corumbaense há mais de 10 anos quando estampa semanalmente nas páginas da publicação local as tirinhas da personagem Maria Dadô, por ela criada na década de 1970 para a extinta Revista Griffo e que "voltou à vida" com o convite do jornal, Marlene é conhecida da maioria das pessoas pelo apelido de Peninha, que ganhou ainda nos primeiros anos instalada em Corumbá, onde também lecionou em escolas da região.

Ainda é de Marlene Mourão, os livros “Pacu era um peixe que vivia feliz nas águas do rio Paraguai” e “Um altar para as valorosas sandálias do Frei Mariano”, ambos ilustrados pela própria artista que coleciona alguns títulos inéditos há muito esperando o momento para ganharem publicações.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Além de artista plástica renomada em MS, Marlene Mourão também se destaca por suas obras literárias

Por toda contribuição de Marlene Mourão para a área cultural do Estado, ela foi uma das autoras sul-mato-grossenses escolhidas para participar, este ano, da segunda edição do projeto Arte da Palavra, da rede Sesc de Leituras, com o qual percorrerá diversas cidades do país em diferentes regiões. Também representarão Mato Grosso do Sul, os autores Douglas Diegues e Michelly Dominiq.

A primeira viagem de “Peninha” será para a cidade de Jataí, em Goiás, onde permanecerá entre os dias 15 a 21 de abril. Depois a agenda dela prossegue durante todo o segundo semestre: de 16 a 22 de setembro, em Brasília; de 22 a 27 de outubro em Palmas (Tocantins); entre 28 de outubro e 03 de novembro em Maceió (Alagoas) e, fechando o calendário, de 18 a 24 de novembro em Uruguaiana (Rio Grande do Sul).

Em todo o roteiro, ela integrará o Circuito de Criação Literária – um dos três braços do projeto nacional – e desenvolverá a oficina “O desenho como instrumento de expressão/comunicação visual/verbal”, uma vez que suas obras literárias têm profunda ligação com o visual.

Outros representantes

Douglas Diegues é escritor, poeta e tradutor. Sua poesia em portunhol selvagem tem ganhado cada vez mais espaço entre as antenas refinadas da literatura Brasil e América do Sul afora - participará do circuito de autores, ao lado de Joca Terron - mesa que estreou em Campo Grande e Corumbá em novembro de 2017 -, e criação literária com os livros cartoneiros.

A contadora de histórias Michelly, que é atriz e pedagoga (UFMS), falará sobre sua experiência e pesquisa de contos populares, transformando-os da oralidade para a escrita. Michelly avalia como uma grande oportunidade e também reconhecimento ao trabalho em que investe em parcerias e para o qual vem se dedicando, por meio de estudos. “Me sinto lisonjeada. Acho o intercâmbio literário promovido pelo Sesc Arte da Palavra maravilhoso, especialmente porque, além das oficinas, cada autor tem a possibilidade de conhecer outras culturas e narradores. E também por levarmos a cultura de Mato Grosso do Sul a outras partes do País”. Michelly é ganhadora do Prêmio Professoras do Brasil 2016. Sua atuação atende as áreas de pesquisa em cultura popular, patrimônio imaterial, educação e teatro.

O Arte da Palavra

O projeto também fomenta a cena literária local de Campo Grande e Corumbá, trazendo nomes de expoentes nacionais e promover oficinas de criação com nomes de peso. O projeto Arte da Palavra – Rede Sesc de Literatura, promove a circulação de escritores de Mato Grosso do Sul às cinco regiões do País, exportando e estimulando a produção do Estado.

O Arte da Palavra 2018 traz, de março a novembro, 24 ações em todas as cadeias da literatura enfatizando desde a formação e divulgação de novos escritores, a valorização das obras e escritores brasileiros e as novas formas de produção e fruição literária que se dá a partir dos debates que trarão nomes de peso da literatura contemporânea nacional como Bruna Beber (RJ), uma das grandes expoentes da poesia contemporânea brasileira, e Ricardo Aleixo (MG) poeta e performer que trabalha a temática negra. Das ações, 8 serão oficinas de criação literária como o de escrita criativa com Sidney Rocha (PE), ganhador do prêmio Jabuti; além de oficina de tradução, roteiro cinematográfico e literatura fantástica.

A partir desta terça-feira, 10 de abril, a escritora Lia Testa estará em Corumbá realizando a oficina “À Procura de Gestos Criativos: práticas de leitura/escrita” que apresentará diferentes leituras e produções textuais, integrando a teoria e a prática. A oficina segue até o próximo dia 14, das 17h às 21h, na unidade do Sesc Corumbá, com vagas para interessados a partir dos 16 anos de idade. A inscrição é kit de higiene pessoal (02 sabonetes, 1 creme dental e 1 escova de dentes) que será revertido para o Programa Mesa Brasil

A programação completa pode ser conferia no site e www.sesc.com.br/portal/site/ArtedaPalavra.

Ações e Compartilhamento
Comentários:

Glauce Cunha de Oliveira: Que legal! Parabéns, Peninha! Show!

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE