Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
23 de Fevereiro de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Numa das edições mais concorridas, Concurso de Fantasias lançou mão até de punição a candidato

Lívia Gaertner em 09 de Fevereiro de 2018

A 37ª edição do Concurso de Fantasias de Corumbá foi uma das mais concorridas dos últimos anos a julgar pelo número de participantes e da gana deles em vencer o tradicional evento na cidade que é referência na folia na região Centro-Oeste.

Antes da disputa, um momento bastante emblemático da programação da festa popular, afinal ela inicia oficialmente o período de folia. A coroação da Corte de Momo, formada pelo Rei Renan Júnior Oliveira de Paula e pela Rainha Elenina Paula de Souza da Silva, além da primeira Princesa Raiane Oliveira de Paula e da segunda Princesa Thalia Araújo, sacramentou o início da maior festa popular da região. O prefeito de Corumbá, Marcelo Iunes, em ato simbólico, passou a chave da cidade para o Rei Momo comandar a folia até a quarta-feira de cinzas.

Johonie Midon/Diário Corumbaense

Prefeito Marcelo Iunes entregou "chave" da cidade ao rei Momo, Renan de Paula e sua corte

Durante a leitura de seu decreto, o Rei Momo Renan lembrou atitudes que garantem um bom carnaval a todos usando de educação e consciência durante a diversão. Ele destacou as belezas naturais da cidade que possui a maior porção territorial do Pantanal e que é preciso manter o ambiente da festa sempre limpo e preservado. Lembrou ainda que álcool e direção não combinam e de cuidados com a saúde.

Por sua vez, o prefeito Marcelo Iunes, que vem participando ativamente de todas as atividades relacionadas ao carnaval, já conseguiu fazer uma avaliação positiva desse início da programação que há alguns dias vem movimentando muita gente na cidade.

“Desde as rodas de samba, há cerca de um mês, já começou nosso carnaval. Na terça-feira, o ensaio técnico e na quarta-feira, o bloco Sandálias de Frei Mariano movimentaram o comércio, inclusive o informal, que está gerando uma renda extra para essas pessoas pagarem suas dívidas, investir em algo, essa é nossa preocupação. Eu tenho certeza que vai ser o melhor carnaval de todos os tempos”, afirmou.

Johonie Midon/Diário Corumbaense

Vencedora na categoria Originalidade: “O amor no cangaço”

Cultura preservada

A competição entre os carnavalescos começou pela categoria com maior número de inscritos. Foram nove concorrentes em Originalidade, categoria que não privilegia o luxo, mas a criatividade envolvida na criação do traje.

Ao completar 10 anos de participação no Concurso em Corumbá, a campo-grandense Enir Amarilha levou mais um título ao representar toda a garra, força e encantamento da mulher do sertão com a fantasia “O amor no cangaço” que recebeu 246,4 pontos do corpo de jurados. Confeccionada com diversos objetos, entre eles, perna de cadeira, galão de água, porungas, vasilhas antigas, coco da Bahia e retalhos de tecidos, a fantasia, que levou três meses para ser concluída, contou a história das duas mulheres que mais influenciaram Lampião: a avó dele e Maria Bonita, seu grande amor.

“A vitória significa que o povo entende a Cultura e que a do Carnaval tem que ser preservada e independente da corrupção de pessoas que tiram para eles em desfavor do Brasil”, disse Enir ao dar seu recado para os gestores públicos do país.

Johonie Midon/Diário Corumbaense

No feminino, vencedora foi “Ka’a: a lenda imperial da erva-mate”

Na categoria Luxo Feminino, outra concorrente também vinda da Capital do Estado e veterana do Concurso em Corumbá, conseguiu mais um título para sua coleção que nem ela mesma se recorda de quantos conquistou na cidade pantaneira.

“Eu sou campo-grandense, mas Corumbá como a capital do carnaval em Mato Grosso do Sul é um desafio grande sempre. Todo ano é especial. Eu desfilo faz 12 anos, e sempre estive entre as primeiras colocações, fruto da garra e esforço de muita gente envolvida. Espero que esse já some meu sétimo título alternado para receber o título de Hors Concours”, declarou Rebeca D’Albinie.

Com plumaria diversa (faisão, pavão, rabo de galo), cristais, pedraria lapidadas nos tons verde, rosa, dourado, prata e salmão, além de muitas lantejoulas e paetês, a fantasia vencedora “Ka’a: a lenda imperial da erva-mate” fala de parte importante da história sul-mato-grossense ao lembrar o cultivo da erva que é matéria-prima da bebida típica da região, o tereré.

Johonie Midon/Diário Corumbaense

Em disputa polêmica no Masculino, “Mapogo e sua frente de coalizão” ficou em primeiro

Regulamento em ação

Numa das raras vezes quando a punição prevista em regulamento foi utilizada, a classificação na categoria Luxo Masculino teve uma reviravolta. Após protestos de participantes e membros de suas equipes, a organização do Concurso colocou em uso o que previa o artigo 20 do texto que normatiza a competição e puniu com a perda de 10 pontos o carnavalesco Marquinhos Soledade que acabou ficando na terceira colocação. Ele foi punido por contar com a ajuda de três integrantes da equipe durante trecho já considerado como passarela. Pelo artigo 20, “não poderá a fantasia ou desfilante ter apoio de pessoas na passarela do desfile”.

Com manifestações de ambas as partes envolvidas, a premiação foi entregue sob protestos de uns e comemoração de outros. O campeão, após decisão da comissão organizadora, foi Rafael Jiro Ferraz Higuchi com a fantasia “Mapogo e sua frente de coalizão”, que obteve 238 pontos. Em segundo lugar, Toninho Pluma e sua fantasia “Centauro”, com 237,4 pontos. Após perder 10 pontos, na terceira colocação, Marcos Soledade com a fantasia “Fallen, o novo crepúsculo (anjo caído)” e 236 pontos.

Johonie Midon/Diário Corumbaense

No luxo especial, "Zípora, a guardiã dos segredos das feras”, de Claudinho Tasso

Para fechar as apresentações, a categoria Luxo Especial. O carnavalesco corumbaense Claudinho Tasso conseguiu arrebatar 247,7 pontos com a fantasia “Zípora, a guardiã dos segredos das feras”. Com broches de strass, medalhões, paetês, strass magno, chatons, galochões, contas, 2000 plumas choronas de tom vermelho bordô, 2200 penas de pavão real, 500 rabos de galo importados e penas de faisão, a fantasia foi uma das maiores a se apresentar durante a noite e levou cerca de seis meses para a confecção.

“É maravilhoso ganhar na minha terra, é um esforço muito grande e, graças a Deus e a esse povo, veio o resultado de um trabalho feito há um longo tempo. A gente concorre com pessoas do Brasil inteiro e isso é muito gratificante”, disse Tasso ao Diário Corumbaense que contabiliza seu quarto título consecutivo.

Além dos trajes concorrentes, houve três apresentações de fantasias de carnavalescos Hors Concours, que é quando eles se apresentam, mas não competem, condição adquirida, conforme regulamento, após sucessivas vitórias em várias edições do evento. São eles: Waldir Gomes, Fernanda Vanuccy e Adão Barbosa.

Johonie Midon/Diário Corumbaense

Carnavalescos "Hors Concours": Fernanda Vanucci, Adão Barbosa e Valdir Gomes

Premiação

Os campeões em cada categoria receberam, como premiação, o valor de R$ 2.500 (dois mil e quinhentos reais). Aos segundos colocados, o valor do prêmio foi de R$ 1.500 (mil e quinhentos reais), enquanto os terceiros lugares receberam, cada um, R$ 1.000 (um mil reais).

Já os carnavalescos “Hors Concours” levaram R$ 7.500 (sete mil e quinhentos reais), quantia dividida entre os três premiados.

Durante a realização do Concurso de Fantasias, ainda teve show da cantora Juci Ibanez e performances da personagem Maria Quitéria.

Confira os três primeiros colocados em cada categoria:

Originalidade

1º lugar: Enir Amarilha – “O amor no cangaço” com 246,4 pontos

2º lugar: Luciano Pereira (carnavalesco Francis Fabian) – “Tributo aos filhos da terra” com 225,2 pontos

3º lugar: Márcia Lins – “Elvira, a rainha das trevas”, com 230 pontos

Luxo Feminino

1º lugar: Rebeca D’Albinie – “Ka’a: a lenda imperial da erva-mate” com 248,2 pontos

2º lugar: Nadja Chauvet (carnavalesco Ranulfo Galleano) – “Tributo à Nadja Chauvet, a deusa do sol no carnaval”, com 247,6 pontos

3º lugar: Fernanda da Silva Cruz (carnavalesco Toninho Pluma) – “O enigma da esfinge, com 231,2 pontos”

Luxo Masculino

1º lugar: Rafael Jiro Ferraz Higuchi – “Mapogo e sua frente de coalizão”, com 238 pontos

2º lugar: Toninho Pluma – “Centauro”, com 237,4 pontos

3º lugar: Marcos Soledade – “Fallen, o novo crepúsculo (anjo caído)”, com 236 pontos*

*perdeu 10 pontos do total 246 por descumprir artigo 20 do regulamento da competição

Luxo Especial

1º lugar: Claudinho Tasso – “Zípora, a guardiã dos segredos das feras”, com 247,7 pontos

2º lugar: José Carlos Flores – “Fu-Ral, a primeira general chinesa”, com 245,5 pontos

3º lugar: André Kelvin – “O baile de Máscaras”, com 207 pontos

Hors Concours

Fernanda Vanucci – “Sob o céu de estrelas, a sorte da Mocidade”

Adão Barboza – “O guardião da flor de Xaraés”

Valdir Gomes – “Sua majestade, o Imperador”

 

Galeria: Desfile de Fantasias - 2018

Abrir Super Galeria
Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE